2002/2003: Anos marcantes | U2 Brasil
3 de abril de 2016 · Especial U2 40 Anos
2002/2003: Anos marcantes
Postado por Marina
261cd50028cea6077453fc51969596f9

Logo no início do ano 2002, o U2 realizou um dos eventos mais lembrados de sua história e um dos melhores shows de rock já televisionados de todos os tempos. Aclamado por várias publicações especializadas tanto em esportes como em música, o show do U2 no intervalo do Super Bowl em 2002 é tão lembrado na trajetória da banda quanto o Live Aid.

Apenas após alguns meses do atentado terrorista de 11 de Setembro nos Estados Unidos, o U2 apresentou-se em homenagem às vítimas, executando “Beautiful Day”, “MLK” e – no ápice da apresentação – “Where the Streets Have no Name”. Bono estava com a bandeira dos Estados Unidos no lado interno da sua jaqueta e com a banda realizou um show contra a guerra e contra a violência, com uma profundidade e apelo emocional que apenas o U2 poderia expressar naquele momento. O público foi do delírio ao êxtase.

A curta apresentação – porém visceral, vibrante e emocionada – é tida como a mais perfeita consubstanciação do sentimento do povo norte-americano naquele momento histórico.  Permeada pela sede de superação, mas também pela dor e pelo desespero. Era uma cicatriz que começava a se fechar, mas que deixaria marcas permanentes. Era um choro de dor, mas também de alívio pela vida que voltava ao seu curso.

O show foi realizado precisamente em 03 de fevereiro de 2002, no Louisiana Superdome, em New Orleans e, para que se tenha ideia do alcance e da importância dessa apresentação, o show do intervalo do Super Bowl é considerado o evento esportivo mais assistido nos Estados Unidos e o segundo em audiência mundial (perdendo apenas para a final da UEFA).

Ainda no mês de fevereiro, no dia 27, o U2 participou da 44 edição do Grammy Awards, na qual ganhou quatro prêmios, dentre eles o de gravação do ano, com a música “Walk On”, que foi executada ao vivo pela banda. Na premiação desse ano a banda foi agraciada por “All That You Can’t Leave Behind” como álbum do ano; “Stuck In A Moment” com o prêmio de canção do ano e; “Elevation”, que foi eleita como a melhor performance de rock.

Confira aqui a apresentação da banda durante a premiação:

Ainda no ano de 2002, no dia 21 de Outubro, a banda lançou o single “Eletrical Storm” para a coletânea “The Best of 1990-2000”. A música, que retrata a tensão entre dois amantes como uma tempestade, tem em Larry o grande protagonista do clipe, ao lado da atriz Samantha Morton. A canção esteve na primeira posição da Itália e figurou no top 5 do Reino Unido e da Austrália.

No final do ano de 2002, no dia 17 de dezembro, a banda lançou a canção “The Hands That Built America”, destinada a ser a trilha sonora do filme “Gangs Of New York”, sendo lançada também como canção inédita da coletânea “The Best of 1990-2000”. A canção foi indicada ao Oscar no ano seguinte (2003) como melhor canção e é inspirada nos irlandeses que migraram para os Estados Unidos no século XIX.

Dentre os eventos marcantes do ano seguinte, 2003, ganha destaque a apresentação da banda nos Jogos Olímpicos Especiais de Verão, que naquele ano foram sediados na Irlanda. O evento é uma iniciativa de apoio aos portadores de deficiências intelectuais. Durante a cerimônia dos jogos, o U2 apresentou-se com uma versão muito especial de “One” e com “Pride” – ao final desta música, Nelson Mandela se juntou à banda no palco. Bono ficou visivelmente empolgado e emocionado com a presença de um dos seus grandes ídolos no palco, sendo esse encontro mais um dos momentos inesquecíveis da banda.

Confira a apresentação da banda no Special Olympics Ireland, em 21 de junho de 2003:

Em 17 de novembro de 2003, foi realizado o lançamento do DVD U2 Go Home: Livre from Slane Castle, gravado em Setembro de 2001, durante a passagem da Elevation Tour pela Irlanda.

O momento para lançamento desse show em DVD não poderia ser mais apropriado: após tantos eventos marcantes, épicos e emocionantes na carreira da banda, o DVD traz o registro de um Bono cantando para seu pai Bob Hewson, falecido alguns dias antes da gravação do show. É a perfeita imagem de como a banda consegue cantar sentimentos e marcar momentos na execução de suas canções.

Quer saber sobre os anos anteriores? Clique aqui para ver as reportagens passadas.


Compartilhar notícia