All That You Can't Leave Behind - Dias lindos para um novo milênio | U2 Brasil
28 de abril de 2015 · Especial Álbuns
All That You Can’t Leave Behind – Dias lindos para um novo milênio
VictorRuyzPostado por VictorRuyz

Após a rica odisseia experimental travada em Pop, a banda tomou a decisão de que era hora de relembrar às pessoas de como o U2 havia ganhado notoriedade: fazendo um rock glorioso e celebrante.

Fazendo isto, emergiram, em Outubro de 2000, com “All That You Can’t Leave Behind”, que teve uma vendagem espetacular – 12 milhões de cópias, à data -, e alcançaram algo que nenhum outro artista jamais conseguira: O álbum ganhou dois Grammys de melhor gravação do ano, com “Beautiful Day” em 2001 e “Walk On” no ano seguinte. Estes seriam apenas dois de 7 Grammys que viriam a ser conquistados com tal álbum. O contrato que os firmava como a melhor banda de rock ‘n’ roll do mundo estava firmemente sendo renovado.

“All That You Can’t Leave Behind” foi gravando em quatro locações de Dublin – incluindo Windmill Lane – e também no sul da França. Foi uma feliz reunião daquilo que se pode chamar de “dream team” do U2. Daniel Lanois e Brian Eno, que ajudaram a banda a criar o som que fê-los ser gigantes (“The Unforgettable Fire”, “The Joshua Tree” e “Achtung Baby”), voltaram às cadeiras de produtores. Eles também ajudaram com backing vocais e complementos com outros instrumentos. Houve também uma produção adicional que contou com Steve Lillywhite e alguns outros. Os resultados foram explosivos.

Após quase um ano de uma das maiores turnês de rock de todos os tempos, o itinerário de PopMart chegou ao seu fim na primavera de 1998, logo após o primeiro show do U2 na África do Sul. A próxima aparição pública do quarteto seria em Os Simpsons, no episódio Trash of the Titans.

Na vida real, a música “Sweetest Thing” tornou-se um grande hit. Originalmente fora gravada durante as sessões de “The Joshua Tree” e lançada como b-side de “Where The Streets Have No Name”. A canção, agora lançada como single, acompanhou a coletânea “Best Of 1980-1990”.

Bono teve um memorável começo de ano em 1999: Apresentaria o prêmio Freddie Mercury Award para Muhammad Ali, juntaria-se a Bob Dylan nos palcos para celebrar a abertura de Las Vegas House of Blues e induziria Bruce Springsteen ao Rock and Roll Hall of Fame. Ao mesmo tempo, daria início às composições para o sucessor de “Pop”.

“Consideramos ter feito 11 singles para esse álbum”.
Bono.

A confirmação de que o novo estilo da banda seria um sucesso veio com o primeiro single lançado: “Beautiful Day”. Foi um daqueles casos raros onde a música se torna um hino logo que sai do estúdio, e desde seu lançamento, sempre acompanha o U2 durante seus shows.

O single foi número 1 no Reino Unido e internacionalmente, sendo a melhor forma de apresentar o álbum que havia sido lançado há apenas duas semanas. Qual melhor forma de celebrar um novo milênio do que uma letra que diz: “É um dia lindo. Não deixe-o escapar”? A faixa não ganhou apenas o Grammy de Música do Ano, em 2001, mas também foi a vencedora na categoria Gravação do Ano e Melhor Performance por dupla ou Grupo com Vocal.

Elementos daquilo feito pelo U2 nos anos 90 apareceram em “Elevation”. Também foi uma música que conquistou um Grammy – Melhor Performance de Rock. O coração e a alma do álbum foi “Stuck In A Moment And You Can’t Get Out Of”, premiada em 2002 com o Grammy de Melhor Performance Pop. A inspiradora e desafiante “Walk On” venceria na categoria de Gravação do Ano e seria tocada pela banda na cerimonia.

Acompanhando estas célebres músicas estava uma poderosa coluna dorsal formada por faixas como “Kite”, a muito-positiva “In A Little While”, a charmosa “Wild Honey”, “Peace On Earth” e “When I look At The World”, além da serena “Grace”. Tomado por grandeza, o álbum viria a resultar em uma vertiginosa vestimenta repleta de primeiras posições no top das paradas de todos os lugares: Europa, Austrália, e ao redor do globo terrestre.

A Rolling Stone chamou o álbum de obra-de-arte pois, segundo a revista, ele representava o melhor de todas as experiências já vividas pela banda. “A banda destila duas épocas de criação musical sem aparente esforço, algo que geralmente só é possível para veteranos. O álbum representa a mais ininterrupta coleção de incríveis e poderosas melodias que o U2 já amontoou”.

A turnê Elevation teve início em Março de 2001. Foi uma celebração de um novo álbum que triunfara. A banda esteve na estrada daquele ano inesquecível tocando em 113 shows, ao redor de 14 países, para um total empolgante de dois milhões de pessoas. A temporada na Europa incluíra quatro noites em Earls Court, em Londres, e um show de verão em Slane Castle, na Irlanda.

O bis aconteceu no começo do ano seguinte, quando a banda se apresentou na 36° edição do Super Bowl, durante o intervalo da partida entre St. Louis Rams e New England Patriots, em Louisiana Superdome. A banda dedicou a performance à todos aqueles que perderam alguém nos ataques de 11 de Setembro. O U2 uniria o presente com o passado, tocando “MLK” acompanhada de “Where The Streets Have No Name” logo após terem libertado sua nova assinatura hedônica: “Beautiful Day”.

Dias lindos, de fato.

Fonte:

udiscover


Compartilhar notícia