Bono, Edge e Adam falam às rádios internacionais | U2 Brasil
12 de setembro de 2017 · Notícias · Songs of Experience
Bono, Edge e Adam falam às rádios internacionais
Postado por Vicky
soeradio

Bono, Adam Clayton e The Edge concederam pelo menos uma dúzia de entrevistas para promover o single “You’re The Best Thing About Me” na última semana. Analisamos cada uma delas. Primeiro vamos ao lançamento do novo álbum, “Songs of Experience”. Então, a análise dos comentários de The Edge sobre “You’re The Best Thing About Me”, mas desta vez buscamos um olhar mais detalhado sobre as outras músicas que já foram citadas como parte do novo trabalho: “The Blackout,” “Love is Bigger Than Anything in Its Way,” “A Showman” e “American Soul”, todas elas mencionadas nesta série de entrevistas.

Bono deu uma entrevista à rádio holandesa KRO, na qual falou sobre alguns medos/acidentes com a sua saúde ao longo dos últimos anos e  como eles tomaram forma neste novo álbum: “Eu tive alguns incidentes ao longo dos últimos anos, alguns cômicos e sem importância,” o entrevistador completou: “como as suas lesões?” E Bono acabou por dar uma resposta mais longa:

“Sim, sim, eu tive alguns alertas a respeito da minha mortalidade. Um deles aliás, provavelmente você deve ter ouvido falar, quando eu estava andando de bicicleta no Central Park. Não há nada de radical em andar de bicicleta. Não é uma motocicleta. E não há nada de bom sobre isso, na realidade foi muito ruim. Eu lesionei as minhas mãos. Desde então acabei tendo alguns outros também. Então eu me perguntei, “O que está acontecendo aqui?” Eu escrevi sobre isso honestamente, como se esse fosse nosso último álbum, e é melhor que isso seja bom. E isso é o que eu gostaria de dizer para aqueles que eu amo, para o meu público, para a minha esposa, para meus filhos e filhas.” O apresentador, Rudd de Wild, pergunta novamente sobre essa ideia: “Então você quer dizer que todas essas músicas são letras que dizem adeus”?,  para o qual Bono responde: “’The Blackout’ e ‘Love is Bigger Than Anything in Its Way’, sim”.

“E é aqui que quero chegar, há outra música chamada ‘Love is Bigger Than Anything in Its Way’, o que soa como uma poderosa música do U2, além de outra que já foi disponibilizada no Facebook nesse momento: ‘The Blackout’, que fala sobre um choque no sistema, neste caso eu acredito que fale sobre política. A letra diz: ‘Statues fall, democracy is flat on its back, We had it all, and what we had is not coming back, A big mouth says the people they don’t want to be free, for free, A blackout, is this an extinction event, we see?’ (Estátuas caem, a democracia está plana em suas costas, nós tínhamos tudo, e  que tivemos não pode ser recuperado, a boca grande diz que as pessoas, elas não querem ser livres, um blackout, esse é um evento de extinção, vocês veem?). A frase de abertura: ‘Um dinossauro se pergunta o porquê de ainda caminhar sobre a Terra, um meteoro promete que não vai doer.’ Então eu escrevi sobre a democracia e momento no qual estamos. Mas o positivo e que quando as luzes se apagam você consegue descobrir quem é. Quando as coisas dão errado para a gente ou quando há um choque no sistema, acendemos as luzes, que só assim você descobre quem é.”

Bono certamente teve uma série de sustos recentemente, incluindo o acidente no Central Park no final de 2014, a banda estando em Paris no ano de 2015 durante os ataques terroristas, e o próprio Bono, que estava em Nice, e acabou se refugiando dentro de um restaurante durante o ataque terrorista em julho de 2016. Em uma das suas entrevistas atuais, ele também menciona acordar com ataques de pânico, e é possível que ainda haja outras histórias ainda não reveladas sobre esses fatos.

Acreditamos que essa é a primeira vez que “Love is Bigger Than Anything in Its Way” é citada como uma  música do novo álbum, “Songs of Experience”, mas não é a primeira vez que a banda cita esse título. Em um post no Instagram em julho de 2016, mostrando The Edge na frente a uma imagem com o logo COEXIST, compartilhada apenas alguns dias depois do ataque terrorista em Nice, havia a seguinte legenda: “Love is bigger than anything in its way – Bono, Edge, Adam, Larry”. (O amor é maior do que qualquer coisa a sua maneira – Bono, Edge, Adam, Larry).

Love is bigger than anything in its way – Bono, Edge, Adam, Larry

A post shared by U2 Official (@u2) on

The Edge também falou sobre “The Blackout” com o apresentador da BBC Radio 2, Simon Mayo, e por que eles escolheram liberá-la como fizeram:

“Um dos nossos maiores problemas foi realmente decidir qual das músicas nós iríamos divulgar, quais seriam os singles, porque cada um dos singles acaba por ser um concorrente entre si. É um álbum muito diversificado, o que acaba por ser um pouco problemático. Dependendo da música que você escutar, terá uma percepção diferente sobre ele. E essa é uma das razões pela qual divulgamos ‘The Blackout’ com uma versão ao vivo, dar as pessoas uma certa noção de que há músicas duras neste trabalho. Foi lançada e está indo muito bem, mas não é um single. Na verdade a versão que as pessoas vão ouvir não é a versão do álbum, mas sim uma versão ao vivo.”

The Edge ainda falou um pouco mais à uma rádio canadense sobre a ideia de lançarem duas músicas:

“Um dos nossos problemas, aliás posso considerar um bom problema para se ter, com tantos sons diferentes no álbum, nós realmente nos dedicamos a fazer um disco com clássicos de ponta a ponta. Essa é a nossa visão. Mais ele é muito eclético. Então, queríamos que as pessoas de alguma maneira tivessem um aperitivo do álbum, então ‘The Blackout’ foi esse aperitivo, para que possam provar um pouco do corpo do grande trabalho que está por vir. Na verdade, será apenas no final do ano o lançamento dele. ‘You’re the Best Thing About Me’ foi realmente o primeiro single, que será destinado às rádios.  E é muito diferente novamente. Nós gostamos dessa ideia – duas peças contrastantes, assim as pessoas vão poder entender que esse novo trabalho do U2 é muito diverso, e que há muitas coisas diferentes acontecendo ao mesmo tempo.”

Bono também aproveitou a oportunidade para discutir algumas outras músicas em uma entrevista com a  WXRT:

“Há uma espécie de carta a nossa audiência chamada ‘A Showman’, que fala em como não acreditar em artistas. ‘American Soul’ é uma carta à América que lida com isso, não é um lugar, não é um país, esse país é para mim como o som do baixo e da bateria, você fecha os olhos para perceber a sua volta. Essa é a frase que  Kendrick Lamar sampleou para a sua música “XXX”, mas também é de como chegamos à América, havia algo de América no rock and roll, uma mistura racial bonita, era o que o rock and roll era, o gospel e o blues tiveram um filho bastardo, e esse era o rock and roll.”

Bono já havia discutido a música (na época chamada de “The Showman”), em fevereiro, no artigo publicado na revista MOJO.

“É como se fosse algo retirado de Rubber Soul (álbum dos Beatles)”, ele se entusiasma. “É sobre cantores. Não sou eu.” Para ilustrar seu ponto ele citou alguns trechos à MOJO: “The showman gives you front row to his heart/The shaman prays that his heartache will chart/Making a spectacle of falling apart/Is the heart of the show.” (O showman lhe dará a primeira fila para o seu coração / O xamã reza para que a sua mágoa passe / Fazendo um espetáculo devastador / É o coração do show). “XXX” é uma música no álbum “Damen” de Kendrick Lamar, e é creditada a Kendrick Lamar com U2. No momento da parceria pareceu estranho o crédito a participação, já que aparece apenas uma amostra da voz de Bono, mas entendendo agora como uma parte do novo trabalho da banda, faz sentido. Nessa faixa Bono canta: “Não é um lugar /  Este país é como o som de bateria e baixo /  você fecha seus olhos para olhar ao redor.” São as únicas linhas cantadas por Bono na música de Lamar, e como mencionado acima elas são diretamente retiradas de “American Soul”, uma música descrita por um dos que estiveram presentes nas audições do novo disco como uma verdadeira melodia rocker.

Apesar de não detalhar tanto as novas músicas, Adam Clayton revelou um pouco sobre o trabalho nelas e que eles começaram o trabalho há muito tempo, em uma casa grande em Dublin, depois de os primeiros trabalhos terem sido feitos na estrada durante a turnê iNNOCENCE+eXPERIENCE:

“Havia esta casa grande, muito perto de onde todos moramos em Dublin, e à princípio ela estando vazia, fomos lá e montamos os nossos equipamentos, e isso soou realmente bem, bom local e bom som, e todos estavam muito confortáveis.  Estávamos voltando a algo que foi usado para a gravação de ‘The Unforgettable Fire’ e ‘Joshua Tree’. Então nós queríamos muito mais estudar e ouvir nosso som como banda, queríamos que fosse muito mais orgânico e agressivo, queríamos atingir as pessoas bem na cabeça, são tempos difíceis, nós precisamos encarar as coisas.”

Fonte: U2songs


Compartilhar notícia