Especial Pré-Tour: A turnê 360º | U2 Brasil
5 de Maio de 2015 · Especial Pré-Tour
Especial Pré-Tour: A turnê 360º
VetriPostado por Vetri

Se formos tratar de números, a turnê 360º é um prato mais do que cheio. O mais significativo deles, sem dúvida, foi o fato da turnê ter quebrado o recorde de tour mais lucrativa de todos os tempos, arrecadando mais de 736 milhões de dólares e levando mais de 7 milhões de pessoas para ver o maior espetáculo da Terra. Este recorde pertencia anteriormente à turnê “A Bigger Bang Tour” dos Rolling Stones. Outro grande recorde quebrado pela super turnê aconteceu no show em Rose Bowl, na Califórnia, em outubro de 2010. Este show foi transmitido ao vivo via YouTube e estabeleceu um novo recorde de público nos Estados Unidos para um único atrativo principal. De longe, a 360º Tour foi perfeitamente bem recebida pelos fãs da banda, com casa cheia em todos os 110 shows realizados pelo U2, entre 2009 e 2011.

Talvez o maior atrativo para tanto público assim esteja no próprio nome da turnê: “360º”. Imaginar um concerto de rock de uma super banda já é algo sensacional. Imaginar o mesmo show de rock em um palco onde o público fica literalmente em volta, o palco da bateria gira 360º e com a presença de duas pontes que interligam o palco principal com um anel secundário é algo surreal! Sim essa é a palavra que melhor define esta turnê. É essa a sensação que cada fã sentiu ao entrar no estádio e ver aquele gigantesco palco de 50 metros de altura, tão grande que fazia qualquer super estádio ficar pequeno.

Alguns contratempos, é claro, não deixaram de acontecer. O mais grave dele foi o fato de Bono sofrer um acidente durante um dos ensaios da turnê em 2010, obrigando o adiamento de vários concertos na América do Norte. Problemas mais leves como o sumiço do som do estádio durante a performance da música “Walk On”, em Glasgow, também não deixaram de ocorrer. A 360º foi uma turnê literalmente mundial, estando presente em todos os continentes do planeta, com shows raros na Turquia e na Rússia. Sem contar dois grandes shows marcantes no continente africano.  Houve constantes mudanças no setlist durante a turnê. No começo a banda dava ênfase para o álbum “No Line on the Horizon”, no qual a 360º é baseada. Mas conforme a turnê crescia, a banda o deixou de lado, passando a resgatar músicas raras, incluindo algumas nunca antes tocadas como “Zooropa”, a grande surpresa da turnê.

Talvez, o grande motivo principal para que a 360 tenha conquistado tudo o que conquistou foi o palco onde toda a magia acontecia. A turnê não tem esse nome de “360 graus” à toa. Se tivermos que caracterizar o palco em uma única palavra seriaESPETACULAR, literalmente. A concepção para a realização de um palco dessa magnitude deve-se ao fato de que a banda não queria mais o velho clichê. Ou seja, eles não queriam fazer mais shows no formato clássico, onde o palco ficaria na frente de todos, lotado de aparelhagem eletrônica de ambos os lados. Desta vez, eles queriam mais interação com os fãs e aumentar a capacidade de público. Assim nasceu o maior palco já visto na história da música, com mais de 50 metros de altura. No centro superior havia um super telão de led, também em 360 graus, onde todo mundo podia ver, estando em qualquer lugar do estádio. Como se não bastasse tudo isso, o telão formava um semi-cone quando se abria, ao mesmo tempo em que também se abria a boca de qualquer pessoa ali presente. Era essa a reação que os fãs tinham ao verem toneladas de aço, luzes, efeitos e um som que fazia vibrar até o último fio de cabelo.

Se a ZooTv foi a megalomania do século XX, a 360 foi a mesma coisa do XXI. Ela conseguiu dosar muito bem o tom extravagante e o intimista. O palco não era apenas um palco, era um personagem de entretenimento onde sua atuação era precisa, informativa e convidativa. Parecia que o palco dançava com as músicas. A “360º” proporcionou  uma mistura de sensações: ora era uma super poderosa engenharia que parecia que ia atacar seu público, ora era simples, calma, sem deixar de ser emocionante. Uma mistura de ZooTv com Elevation Tour.

Isso tudo, é claro, só poderia atrair mais e mais pessoas durante os 3 anos em que ela durou. A 360 quebrou mais um recorde como a detentora da maior média de público por show: 66.110 pessoas. Sim, isso seria um número baixo para um único show do U2, mas é apenas uma média. Em comparação, a média de público por show da turnê “A Bigger Bang Tour” (segunda maior turnê da história) foi de apenas 32.500, ou seja, metade da 360.

É por puro mérito do U2 que esta incrível turnê tomou as proporções que tomou. Não adianta ter toneladas de equipamentos, a maior tecnologia disponível, a maior verba possível sem saber fazer o que todos ali estavam querendo que eles fizessem: tocar seus maiores sucessos de forma magistral, brincalhona, da melhor forma possível. E a banda acabou fazendo isso de forma perfeita!

Mais detalhes desta turnê inesquecível nos próximos especiais pré-tour. Não percam!


Compartilhar notícia

  •  
  •  
  •  

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever-se  
Notificar-me de