Especial The Joshua Tree: A história que antecede o álbum | U2 Brasil
Especial The Joshua Tree: A história que antecede o álbum
Postado por Marina
jtespecial2

Como temos acompanhado, o ano de 2017 será marcado especialmente pela celebração dos 30 anos do álbum “The Joshua Tree”- um verdadeiro divisor de águas na carreira do U2. Preparando-se para a tour especial de comemoração que se aproxima, o U2BR traz um especial dedicado ao Joshua, que você irá conferir ao longo das próximas semanas. Nesse primeiro capítulo, falaremos um pouco sobre o momento histórico e a carreira do U2 até o lançamento deste álbum. Confira!

“Eles podem ter um deserto físico, mas temos outros tipos de deserto. E é isso que me atraiu para o deserto como um tipo de símbolo” – disse Bono, sobre a inspiração do The Joshua Tree.

joshua04

Para se compreender essa afirmação, bem como para se compreender o mote desse festejado álbum, é preciso conhecer o U2 de alguns anos que o antecede. ‘The Joshua Tree’ é o quinto álbum de estúdio do U2, lançado oficialmente em 09 de março de 1987 – mas o U2 dos anos anteriores foi uma banda fortemente exposta às discussões políticas e sociais.

Não se pode esquecer, quando se fala da consciência social da banda, de sua origem em uma Dublin turbulenta. No entanto, o grande marco da consolidação do U2 como agente ativo desse cenário deu-se em 1985, quando a banda participou do Live Aid, organizado por Bob Gledof em favor dos famintos da Etiópia.

Nesse evento, durante os shows, os espectadores eram convidados a contribuir financeiramente para apoio dos famintos. A participação nessa ação solidária fora especialmente marcante para o U2, pois a banda (até então em início de carreira), colocou seu nome ao lado de outros grandes nomes já reconhecidos e aclamados pelo público, transformando o U2 em mais um ícone da música que trabalhava em prol de uma causa humanitária.

A propósito, o Live Aid de 1985 foi uma ação muito bem sucedida, posto que algumas fontes estimam uma arrecadação de cerca de 150 milhões de libras. Em resumo, essa foi a primeira grande ação de alcance global da qual o U2 tomaria parte em prol dos necessitados. Mas não a única: tomado pelo espírito solidário e questionador, Bono e sua esposa Ali foram pessoalmente à Etiópia. Nessa ocasião, Bono viu não apenas os desertos físicos, mas também os desertos sociais. Sentiu que aquele povo, mesmo abatido por extrema pobreza e adversidade, tinha riqueza de espírito – coisa que faltava a muitos abastados do mundo ocidental. Soube, então, que para além dos desertos climáticos, deveria se dedicar a combater os desertos espirituais e mentais.

O álbum ‘The Joshua Tree’ é, portanto, produto da primeira grande imersão do U2 nas pautas humanitárias e questões políticas – é um reflexo do enfrentamento das questões tormentosas para a sociedade ocidental. E não por acaso, o álbum soa como atual em qualquer época que seja ouvido, pois essas questões não apenas continuam existindo, como se agravaram ao longo do tempo.

Parece que nós fechamos um círculo desde quando as canções do The Joshua Tree foram originalmente escritas, com uma agitação global, uma política de extrema direita e alguns direitos humanos fundamentais em risco” – disse The Edge, ao U2.com.

Ao que Bono completou:

Recentemente eu ouvi ‘The Joshua Tree’ pela primeira vez em quase 30 anos. É uma ópera. Muitas emoções parecem estranhamente atuais, amor, perda, sonhos quebrados, busca do esquecimento, polarização (…) Estou preparado para isso e se o nosso público estiver tão animado quanto nós, vai ser uma ótima noite”.

jt_2017_credit_anton_corbijnb
E não por acaso também, como veremos ao longo desse especial, o álbum é carregado de símbolos: as fotos em paisagens desérticas, as canções, a árvore de Josué. O momento era de aprofundar a reflexão e partir para a ação.

Dentro da carreira do próprio U2, dos trabalhos da banda que antecederam o lançamento do ‘The Joshua Tree’, destacam-se:

1) ‘Boy’ (1980): como primeiro álbum de estúdio da banda, alcançou sucesso expressivo e, inclusive, chegou a figurar em algumas paradas de sucessos, especialmente pelo single ‘I Will Follow’. Esse álbum gerou a tour de mesmo nome, que percorreu a Europa e a América do Norte nos anos de 1980/1981;

2) ‘October’ (1981): segundo álbum de estúdio que é considerado, até hoje, um dos menos populares do U2, em razão dos números associados às vendas serem inferiores em relação aos demais álbuns da banda. A música mais famosa desse álbum é ‘Gloria’. A ‘October Tour’, assim como a anterior, percorreu apenas a Europa e a América do Norte, nos anos de 1981 e 1982 – incluindo-se, em 1982, a participação do U2 em alguns festivais;

3) ‘War’ (1983): esse álbum é o primeiro passo do U2 para discussão das causas de cunho político, sendo um grande ícone dessa fase a canção ‘Sunday Bloody Sunday’. Desse álbum também destacou-se ‘New Year’s Day’. A ‘War Tour’, além da Europa e da América do Norte, contemplou uma passagem pelo Japão, tudo no ano de 1983;

4) ‘Under a Blood Red Sky’ (1983): diferentemente dos anteriores, não é um trabalho de estúdio, mas um álbum gravado ao vivo, em três shows da banda pela ‘War Tour’, consolidando sucessos dos álbuns anteriores;

5) ‘The Unforgettable Fire’ (1984): em relação a seus antecessores, é o álbum com maior sucesso comercial até então e que rendeu à banda a consolidação de ‘Pride (In the Name of Love)’ como hit do U2. A tour de mesmo nome do álbum levou o U2 à Nova Zelândia, Austrália, América do Norte e Europa, nos anos de 1984 e 1985. Como falamos acima – e não custa relembrar – no ano de 1985 deu-se a inesquecível participação do U2 no Live Aid.

joshua

Na sequência da carreira do U2, o álbum The Joshua Tree foi seguido pelo “Rattle and Hum”, em 1988. Quer saber mais? Continue acompanhando o U2BR – em breve, mais um capítulo sobre esse álbum fabuloso, que acaba de ganhar uma tour especial de 30 anos!


Compartilhar notícia

  • Cátia Neves

    Tudo que envolve o U2 rende bons textos!