Especial The Joshua Tree: Os produtores e equipe técnica | U2 Brasil
Especial The Joshua Tree: Os produtores e equipe técnica
Postado por VictorRuyz
FotorCreated1

Para a criação do álbum, a banda contou novamente com a dupla Brian Eno e Daniel Lanois.

Brian, famoso por seus toques com sintetizadores, cujo currículo já constava trabalhos com DEVO e David Bowie, começou a trabalhar com a banda irlandesa no álbum “The Unforgettable Fire”, momento em que “a admiração da banda por Brian Eno como um músico de originalidade e imaginação sem limites, fez dele a escolha para o projeto. Quando ele recomendou seu engenheiro de som, Daniel Lanois, que até o momento era relativamente desconhecido, a aliança estava completa”.

Após o trabalho de Lanois com o U2, Bono recomendou-o a Bob Dylan. Trabalharia no álbum “Oh Mercy” e, anos depois, em “Time Out of Mind”.

Complementando a equipe, trouxeram Flood (Mark Ellis) para ser o engenheiro de som. Flood foi indicação de Gavin Friday, amigo de Bono. Chegando aos estúdios, a banda solicitou que as músicas tivessem um som mais ambiente.

Mark “Flood” Ellis é britânico, de Manchester, nascido em 1960. Possui um artefato parecido com Brian Eno: utiliza elementos sintéticos em todos os seus trabalhos.

A origem do codinome ‘Flood’, tem duas versões. A primeira, por sua estratégia de manter músicos no estúdio despertos através de abundantes quantidades de chá. Ou, ainda, porque uma vez fora noticiado que, devido ao hábito de beber muito chá, vivia constantemente derrubando o líquido pelos lugares em que passava. Sabemos, então, que Flood é uma verdadeira inundação – mas de chá.

O primeiro grande projeto da carreira de Flood aconteceu em 1981, quando trabalhou como engenheiro assistente de áudio na estreia de New Order.

Outros nomes por trás de “The Joshua Tree” são Dave Meegan e Pat McCarthy. Foram suplementares ao trabalho de engenharia de som.

Já a mixagem ficou por conta de Steve Lillywhite novamente (havia trabalhado com a banda nos três primeiros discos). Com participação em grande parte da discografia do U2, hoje seu currículo ainda conta com Rolling Stones, The Pogues, Simple Minds, Dave Matthews Band, Thirty Seconds To Mars, Beady Eye, Evanescence, entre outras.

Em 2014, Steve faturou seu sexto Grammy com o trabalho “Loco de Amor”, do artista colombiano Juanes. Os outros cinco foram com o U2: Música do Ano com “Beautiful Day” e “Walk On”; Produtor do Ano, Melhor Álbum Rock e Melhor Álbum do Ano, todos com o “How To Dismantle An Atomic Bomb”.

“Steve Lillywhite costuma sempre vir aos nossos shows e dizer seus malditos! Isso foi muito melhor do que a versão do álbum! Da próxima vez, por favor, apresentem as músicas ao vivo por alguns meses e então gravem o álbum”, disse The Edge, certa vez.

Outros nomes são os de Mark Wallace e Mary Kettle como engenheiro de mixagem e assistente, respectivamente.

Na equipe de estúdio estavam, ainda, Joe O’Herlihy, Des Broadberry, Tom Mullally, Tim Buckley, Marc Coleman, Mary Gough e Marion Smyth.

Aqui uma breve entrevista com Joe O’Herlihy, o engenheiro e operador da mesa de som do U2:

‘That shiver, forty years on, is the same as it was first day…’

Gravação e mixagem ocorreram em Windmill Lane Studios – Dublin.

As fotos de divulgação de “Joshua” foram feitas por Anton Corbjin. Design e layout finalizados por Steve Averill.

Confira os outros capítulos do Especial The Joshua Tree AQUI.


Compartilhar notícia