Interpretação: Get Out Of Your Own Way | U2 Brasil
19 de novembro de 2017 · Interpretações
Interpretação: Get Out Of Your Own Way
Postado por Suderland

Olá, caros amantes da boa música!

Pegando o gancho do breve lançamento em Dezembro do novo álbum do U2, “Songs of Experience” , escolhi o single “Get Out Of Your Own Way”, recém lançado, para fazer uma análise da sua letra dentro do conceito do álbum, que, segundo o próprio Bono, é um compêndio de cartas pessoais para as pessoas próximas a ele. Como ele mesmo disse à revista Rolling Stone: “Eu sei que o U2 entra em cada álbum como se fosse o último, mas ainda mais desta vez eu queria que as pessoas ao meu redor soubessem exatamente como eu sentia. Então, muitas das músicas são uma espécie de carta, cartas para Ali, cartas para meus filhos e filhas, na verdade nossos filhos e filhas.” O curioso é que o momento político fez o Bono alterar as letras de algumas canções, para torná-las menos pessoais e mais políticas: “Os apocalipses pessoais e políticos se juntaram”, disse o Bono numa entrevista. “Mas acho que, se somos honestos, o lado pessoal se afastou do caminho para dar espaço a mensagem política.”

Segundo os membros do U2, eventos políticos e pessoais atrasaram o lançamento desse álbum, pois eles resolveram reavaliar em qual direção estava caminhando o mundo. E, assim, fazer e refazer uma leitura mais contextualizada e assertiva da nossa realidade. Aliás, as letras das músicas “Get Out Of Your Own Way” e “American Soul” se complementam no propósito do Bono de transmitir uma mensagem política aos estadunidenses. É como se esta fosse a sequência daquela, tanto que o Kendrick Lamar encerra “Get Out Of” e começa “American Soul”.

E sobre essas mensagens políticas, Bono explicou alguns motivos do atraso do álbum e esse contexto político que o levou a reescrever algumas letras:

“Há algumas razões pelas quais atrasamos o lançamento de ‘Songs of Experience’. Uma pessoal, uma política. O mundo a nossa volta quase tornou-se irreconhecível, aproximamo-nos de perder a União Europeia, sendo que ela ajudou a manter a paz na nossa região durante quase 70 anos. A globalização substituída pela localização é algo compreensível, mas o retorno de pontos de vista rígidos não é para ser tolerado. Se Marie la Pen tivesse sido eleita presidente da França, toda a ideia de uma União Europeia teria sido vulnerável. Há o mesmo tipo de descontentamento nos Estados Unidos com a ascensão de um novo tipo de eleitorado, as pessoas tanto de esquerda quanto de direita que perderam a fé no processo político, o corpo político, em instituições políticas. Estes sentimentos são facilmente manipulados e executados pelos gostos de Donald Trump.”

Por fim, sobre a canção ‘Get Out Of Your Own Way’, objeto da interpretação a seguir, Bono afirmou na mesma entrevista: “Há uma música chamada ‘Get Out Of Your Own Way’, onde eu tentei usar alguma ironia para refletir a raiva nas ruas”. Ou seja, o mote da letra dessa música é refletir o pensamento das vozes das ruas que estão inconformadas com os rumos políticos do mundo. Seguindo esse raciocínio, essa canção pode ser usada como porta-voz de diversos países que passam por situações políticas turbulentas e decepcionantes, como é o caso do nosso próprio país, Brasil. Feita essa introdução, vamos a mais uma interpretação.

.:: Get Out Of Your Own Way ::.
Saia do seu próprio caminho

Get out of your own way
Ah, ah
Get out of your own way
Ah, ah
[Saia do seu próprio caminho
Ah, ah
Saia do seu próprio caminho
Ah, ah]

Bono já começa a música com o refrão que é um convite para sairmos da nossa zona de conforto, da nossa inércia. Sair do nosso caminho seguro e desbravar novos caminhos, como bandeirantes do século XXI. Como o contexto da letra é político, então se trata de um chamado à luta pelas causas sociais justas, pela democracia e pela liberdade. É convite para lutarmos por uma sociedade melhor, um mundo melhor para nossa geração, para nossos filhos e netos.

Love hurts, now you’re the girl who’s left with no words
Your heart’s a balloon but then it bursts
It doesn’t take a cannon just to pin, your skin’s not covering
[Amor machuca, agora você é a garota que ficou sem palavras
Seu coração é um balão, mas então ele explode
Não se usa um canhão basta um alfinete, sua pela está descoberta]

Tudo aquilo no qual depositamos intensamente nossos sentimentos mais sinceros possuem um enorme potencial de nos machucar. Por exemplo, quem ama a justiça e ama ajudar o próximo, num contexto social, se decepciona profundamente quando o resultado eleitoral, ou alguma política governamental, gera injustiças sociais. Essas pessoas, sensíveis e que se colocam no lugar do próximo, tendem a se decepcionarem, se retraírem e se calarem nessas horas de angustia com governo que não as representa. A razão é que aquilo que mais inflava o seu coração explode após uma grande decepção. Por isso o Bono usa a imagem de uma pele descoberta para se referir a essas pessoas sensíveis com a causa do próximo e que estão abatidas, daí o convite nos versos a seguir para que o amor resista.

And resistance, love has got to fight for its existence
The enemy has armies of assistants
The amorous, the glamorous
A kiss, a fist, listen to this, oh
[Resistência, o amor tem que lutar por sua existência
O inimigo possui exércitos de assistentes
O amoroso, o glamouroso
Um beijo, um punho, ouça isso, oh]

Nesses versos se reafirma a necessidade lutar pela existência do amor e da solidariedade numa sociedade onde os “inimigos” (pensamentos políticos onde o ódio, o preconceito e o individualismo se sobrepõe à solidariedade) estão em ascensão. Num contexto político, esses “inimigos” do amor, da justiça e da liberdade podem fortalecer o processo democrático. Isso se os grupos que defendem os princípios calcados no amor, como a solidariedade, resistam, se unam e lutem pelo seu espaço e seus princípios.

O amor é glamouroso por ser nobre e porque quem luta por ele, se torna admirado, respeitado, ou mesmo um herói, se a luta for em benefício de muitos. Lincoln, Martin Luther King Jr, Gandhi , etc, são exemplos de líderes que se tornaram admirados por causa de suas lutas por justiça, liberdade e direitos civis.

Get out of your own way
Ah, ah
Get out of your own way
Ah, ah
[Saia do seu próprio caminho
Ah, ah
Saia do seu próprio caminho
Ah, ah]

I can sing it to you all night, all night
If I could I’d make it alright, alright
Nothing’s stopping you except what’s inside
I can help you but it’s your fight, your fight
[Eu posso cantar isso para você a noite toda, a noite toda
Se eu pudesse, eu faria tudo ficar bem, ficar bem
Nada pode te parar exceto o que você tem por dentro
Posso ajudá-lo, mas é a sua luta, sua luta]

Nesses versos Bono expõe a sua sede de ajudar e vontade de lutar junto por esse mundo melhor. E o que precisa ser mudado através da luta? Bono explicou isso dizendo: “Pela primeira vez em muitos anos, talvez em toda nossa vida, o arco moral do universo, como o Dr. King costumava chamá-lo, não estava se inclinando na direção da justiça, igualdade e justiça para todos. A base do debate político, o jingoísmo (nacionalismo exacerbado na forma de uma política externa agressiva), o fervor característico do palavreado de Trump, nos lembrou que estávamos sonhando se pensarmos que a evolução se aplicava à consciência. A democracia é um desafio na história e requer muito foco e concentração para mantê-la intacta.”

Dito isto, Bono está disposto a doar muito do seu tempo por esses ideais. Se pudesse, ele próprio faria tudo dar certo. Nós podemos mudar até mesmo um país, quando acreditamos firmemente que podemos, exceto se, segundo a letra, nossas crenças interiores são limitantes. Se não acreditamos na força de uma sociedade unida por uma mesma causa. De fato não é fácil mudar o status quo, por isso Bono fala da necessidade de acreditar e lutar por isso. E termina dizendo que a luta é minha, sua e de todos aqueles que almejam um mundo melhor.

Fight back
Don’t take it lying down
You got to bite back
The face of liberty’s starting to crack
She had a plan until she got a smack in the mouth
And it all went south like
[Lute
Não seja atingido deitado
Você tem que revidar
O rosto da liberdade está começando a quebrar
Ela tinha um plano até que ela levou um soco na boca
E tudo deu errado]

Bono continua destacando a importância de resistir e lutar pela liberdade, justiça e a democracia para os que estão abatidos e no chão por causa de Governos injustos. Como nas entrevistas a própria banda cita muito as eleições ganhas pelo Trump, creio que essas pessoas que estão no chão é uma referência aos americanos que defendem o “sonho americano”: um país cosmopolita, democrático, justo e aberto para a realização dos sonhos através do trabalho honesto.

E para ajudar a ilustrar esse momento o Bono retrata a estátua da Liberdade recebendo um soco na boca, uma simbologia do golpe que foi para muitos americanos as últimas eleições nos EUA, onde o Trump conseguiu desagradar democratas e até republicanos, seu partido. Sobre isso o Bono a seguinte declaração:

“Há o mesmo tipo de descontentamento nos Estados Unidos com a ascensão de um novo tipo de eleitorado, as pessoas tanto de esquerda quanto de direita que perderam a fé no processo político, o corpo político, em instituições políticas. Estes sentimentos são facilmente manipulados e executados pelos gostos de Donald Trump. Em um mundo onde as pessoas são intimidadas o tempo todo por suas circunstâncias, às vezes elas recorrem a um intimidador delas mesmas. Muitas pessoas ao meu redor, tanto conservadoras como liberais, sentem que este é um daqueles momentos decisivos em sua vida e na história de seu país. Após a eleição, algumas pessoas da esquerda estavam quase sofrendo, eu diria, e quando eu tentei entender isso, eu percebi que havia um tipo de luto, um luto pela inocência que estava perdida.”

Freedom, the slaves are looking for someone to lead them
The master’s looking for someone to need him
The promised land is there for those who need it most
And Lincoln’s ghost says
[Liberdade, os escravos estão procurando alguém para liderá-los
O mestre está procurando alguém para precisar dele
A terra prometida está lá para aqueles que mais precisam
E o fantasma de Lincoln diz]

Get out of your own way
Ah, ah
Get out of your own way
Ah, ah
[Saia do seu próprio caminho
Ah, ah
Saia do seu próprio caminho
Ah, ah]

O interessante desses versos é que ao mesmo tempo temos “escravos” procurando alguém para liderá-los rumo à liberdade, temos também “líderes” esperando por seguidores para conduzi-los. Está faltando apenas iniciativa de ambas as partes, porque há uma casamento de necessidades para ambos. Eles almejam a mesma coisa, que é a Terra Prometida tão citada na cultura estadunidense, inclusive no famoso discurso do Martin Luther King Jr.

Então Bono termina esses versos citando Abraham Lincoln, que o foi o presidente responsável pela 13ª emenda da Constituição Americana (1865), que aboliu oficialmente a escravatura e a servidão involuntária. Foi a primeira das emendas da reconstrução e o presidente dos Estados Unidos na época da votação era Lincoln, que enfrentou muitas resistências e teve lutar muito e exercer uma grande pressão política para conseguir aprovar a emenda. Em outras palavras, Bono está pedindo que adotemos esse espírito aguerrido de Lincoln para que saiamos da nossa inércia e lutemos por uma sociedade melhor, mais justa e livre.

I can sing it to you all night, all night
If I could I’d make it alright, alright
Nothing’s stopping you except what’s inside
I can help you but it’s your fight, your fight
[Eu posso cantar isso para você a noite toda, a noite toda
Se eu pudesse, eu faria tudo ficar bem, ficar bem
Nada pode te parar exceto o que você tem por dentro
Posso ajudá-lo, mas é a sua luta, sua luta]

Get out of your own way (5x)
[Saia do seu próprio caminho] (5x)

Bono reforça, mais uma vez, o seu sentimento de querer muito ajudar nessa luta por uma sociedade melhor, mas a luta é nossa e tem que partir de cada um de nós. E quando somarmos nossas forças, então uma mudança começará a acontecer de fato. Foi assim sempre que houve grandes transformações no mundo. Sempre foi preciso um grande esforço coletivo, partindo de mentes individuais conscientes, apontando para a mesma direção. Muitas vezes foram necessários até mesmo sacrifícios, daí a necessidade de se amar e acreditar no que se faz e luta.

Bless God the arrogant
For there is the Kingdom of their own company
Blessed are the superstars
For the magnificence in their light
We understand better, our own insignificance
Blessed are filthy rich
For you can only truly own what you give away
Like your pain
[Deus abençõe o arrogante
Pois ele tem o Reino de sua própria companhia
Abençoadas são as super-estrelas
Pela magnificência em sua luz
Nós entendemos melhor a nossa insignificância
Bem-aventurados os imundos ricos
Pois só podemos realmente possuir aquilo que perdemos
Como a sua dor]

Esses versos declamados pelo cantor Kendrick parece ser inspirado nas bem-aventuranças declamadas por Jesus (Mt 5:3-11). São virtudes para as quais Jesus prometeu felicidades para quem as praticasse. Uma curiosidade é que Bono já citou o Sermão da Montanha em “Please”, do disco “POP”. Entretanto, o tom das bem-aventuranças dessa canção parecem ser de pura ironia e sarcasmo, pois abençoam atitudes condenáveis, como a arrogância e a ambição desmedida.

O último verso “..só podemos realmente possuir aquilo que perdemos” lembra um princípio ensinado por Jesus, que é: “…quem quiser salvar a sua vida, a perderá, mas quem perder a vida por minha causa e pelo evangelho, a salvará. Pois, que adianta ao homem ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma?” (Mc 8:35) Bono deu uma interpretação para esse ensinamento de Jesus numa entrevista da seguinte forma: “Se você persegue sua própria felicidade, isso o deixará infeliz. As pessoas se encontram em servir os outros”. E servir o próximo é o princípio por trás da única lei ensinada por Jesus, que é amar a Deus e amar o próximo como a nós mesmos. Ou, como o Bono canta: ” O amor é a lei suprema” .

Espero que tenham curtido mais essa interpretação, que é escrito por um fã e para fãs. Um abraço e até breve!

Cordialmente,
@Suderland

+ Confira aqui esta e outras interpretações de Suderland


Compartilhar notícia

  • Pai Mei

    A letra correta para mim é: “The Enemy has armies on assistance”.
    Na tradução: “o Inimigo tem exércitos à disposição”.