Interpretação: I'll Go Crazy If I Don't Go Crazy Tonight | U2 Brasil
16 de novembro de 2012 · Interpretações
Interpretação: I’ll Go Crazy If I Don’t Go Crazy Tonight
Postado por Suderland

E, como é de costume meu, antes da interpretação gostaria de expor a declaração abaixo feita pelo Bono numa entrevista ao The Guardian:

“Uma das coisas que eu penso que nós temos sido bons é em não deixar que nos vejam como beatos. Isso aconteceu conosco por um tempo nos anos 80 e nós não queremos que aconteça novamente. Fico sempre chocado com as pessoas que ficam chocadas quando descobrem que a tolice é uma ocorrência diária com o U2. É o golpe final para as pessoas que não nos suportam. Que nós parecemos ser sempre melhores do que todos os outros. É como se não fosse suficiente nós não termos rompido, termos feito algumas música inspiradoras ao longo dos anos, mas também ter se divertido bastante. A diversão faz parte da nossa história e não é simulação”.

Assim, essa música seria um tipo de resposta àqueles religiosos que cobram dele (Bono) uma postura de abstinência, como a de um monge, onde o fiel deve se abster dos prazeres e das diversões – isso é o que os legalistas chamam equivocadamente de “santificação” – para ser considerado um autêntico cristão e ser aceito pelos “fariseus”. O curioso é que esse tipo de religioso era exatamente as pessoas que se opunham a Jesus, chamando-O inclusive de “um homem comilão e bebedor de vinho, amigo dos publicanos e pecadores.” Lc 7:34. Os adjetivos de Jesus para esses religiosos eram duros: “hipócritas”, “sepulcros caiados, bonitos por fora, podres por dentro”, etc.

.:: Interpretação de Go Crazy ::.

Ela é um arco-íris e adora a vida pacata
Sabe que enlouquecerei se eu não ficar louco esta noite
Existe uma parte de mim no caos que é calma
E existe uma parte de você que deseja que eu me rebele

A partir dessas declarações do Bono ao “The Guardian”, entendo que “Go Crazy” é uma confissão descontraída de um conflito psicológico que o Bono expõe usando uma personagem feminina logo na primeira estrofe quando ele diz: “Existe uma parte de mim no caos que é calma/E existe uma parte de você que deseja que eu me rebele”. Ou seja, essa personagem possui uma parte que se comporta com fé em meio ao caos, e também possui outra parte que é rebelde. Coisa que o próprio apóstolo Paulo confessou isso (Rm 7:19-23).

Essa situação gera um conflito na personagem, pois ela adora uma vida pacata, mas ao mesmo tempo sente necessidade de se divertir. Transferindo isso ao autor da letra, Bono, eu diria que o conflito dele é que ele crê em Jesus e procura seguir Seus ensinamentos, leva uma vida pacata – e de fato ele é um conhecido no mundo todo como um cidadão de bem -, mas não consegue se sentir à vontade com os religiosos legalistas, que são os “fariseus” da nossa época, pois eles cobram atitudes sectaristas, coisa que o próprio Jesus condenou severamente (Mateus 9:11-13; 11:19). Então ele confessa que tem uma parte dele que sente a necessidade de se divertir e outra que gosta de uma vida pacata.

Todo mundo precisa chorar ou precisa desabafar
Todo dente de leite precisa só de um pequeno golpe
Toda beldade precisa sair com um idiota
Como você pode estar perto da verdade e não vê-la?
Uma mudança no coração acontece devagar

Então o Bono constata características que são inerentes aos seres humanos. Todo ser humano precisa expressar seus sentimentos (choro ou desabafo), não dá para usar sempre uma máscara que serve para o indivíduo transmitir uma imagem falsa de si mesmo. Todo dente de leite precisa de um pequeno golpe para que um dente novo e melhor nasça. Da mesma forma que o ser humano precisa de tombos ao longo do caminho para se tornar humilde e misericordioso, pois estes sabem perdoar os que erram como ele. Sobre isso Jesus disse: “Por isso te digo que os seus muitos pecados lhe são perdoados, porque muito amou; mas aquele a quem pouco é perdoado pouco ama”(Lucas 7:47). Só quando a ferida dói é que lembramos do médico e temos compaixão por quem passa a mesma dor. Só quando reconhecemos nossas fraquezas, entendemos o amor de Deus por nós e o amamos verdadeiramente.

E assim como o ouro para se tornar belo e brilhoso precisa passar pelo fogo, da mesma forma nós humanos precisamos passar por dificuldades nessa vida para amadurecermos e moldarmos nossa personalidade. Quando uma beldade (mulher muito desejada e cheia de si) sai com um idiota, geralmente ele a faz sofrer nas suas mãos, então, em meio ao sofrimento, ela meditará, se auto-avaliará e se enxergará interiormente (auto-conhecimento), sem as ilusões de sua beleza externa (beldade), que a tornava arrogante e superficial.

Então vem uma pergunta: “Como você pode estar perto da verdade e não vê-la?”. Qual é a verdade a que o Bono se refere? Provavelmente a afirmação seguinte: “Uma mudança no coração acontece devagar”. Que mudança no coração seria essa? O amadurecimento. O verdadeiro crescimento espiritual. A formação de um ser humano melhor, mais amoroso, benigno, bondoso, manso, misericordioso, etc. E o primeiro passo para haver mudança no coração é querer mudar. E um novo dente (nova consciência, novo coração) só nasce após o “dente de leite” (velha consciência) cair, o que acontece, geralmente, após um golpe. Mas um coração não muda do dia para a noite, é uma mudança lenta. Daí o a crise existência do primeiro estrofe.

Não é uma colina, é uma montanha
Quando você começa a escalar

O caminho para o nosso amadurecimento e crescimento interior é longo e os obstáculos não são pequenos. Muitas vezes as dificuldades nos fazem pensar em desistir, pois não estamos diante de uma “pequena colina”. Ao contrário, estamos diante de uma “montanha” que dia após dia temos que escalar até chegarmos ao topo, o prêmio máximo dos perseverantes (I Co 9:24).

Você acredita em mim ou está duvidando?
Faremos isso por todo o caminho para a luz
Mas eu sei que enlouquecerei se eu não ficar louco esta noite

E aqui o Bono demonstra a certeza (fé) de que conseguirá chegar ao topo da montanha, a certeza de que alcançará o prêmio máximo, a luz! E ele já está escalando a montanha em busca da luz, mas hoje a noite ele precisa descansar da escalada e alegrar o seu coração. Um detalhe curioso é que “luz” pode ser interpretado como uma referência direta à Jesus, posto que Ele mesmo se descreve como luz do mundo: “Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará em trevas, mas terá a luz da vida.” João 8:12

Toda geração tem a chance de mudar o mundo
Triste da nação que não ouve seus garotos
Porque a mais doce melodia é aquela que nós ainda não ouvimos

Nessa estrofe há uma mensagem tipicamente político-social. É uma ideia muito repetida pelo Bono nos discursos aos políticos que ele profere para defender as causas sociais pró-África. É uma conclamação do Bono aos jovens das nações, um convite para que eles acreditem no seu potencial de fazer um mundo melhor. E ele lamenta os países que não ouvem os anseios dos seus jovens, que usualmente são seres idealistas, carregados de esperança e justiça social.

E sobre a atuação dos jovens o Bono deu uma declaração interessante numa entrevista publicada na revista Veja de 15/12/2004: “Mesmo que não tenha poderes políticos, o roqueiro entra no pequeno mundo que existe na cabeça de seus fãs e pode incentivá-los a sair de casa e mudar o que está errado ao seu redor. As pessoas precisam acreditar que podem mudar o mundo. Se deixarem de ter fé nisso, não restará nada além da alienação”.

E é verdade que o amor perfeito lança fora todo o medo?
O direito de ser ridículo é algo que prezo muito
Mas mudanças do coração acontecem devagar

O Bono já usou essa frase, “O direito de parecer ridículo é algo que prezamos”, em entrevista há alguns anos. Isso tem a ver com ser ele mesmo, sem máscaras, sem dissimulação, sem fingimentos, que é típico dos religiosos hipócritas. No entanto, neste verso há uma frase crucial que explica o porquê do título e do refrão desta canção. Quando Bono pergunta: “E é verdade que o amor perfeito lança fora todo o medo?”(uma citação direta de 1 Jo. 4:18), ele está dizendo de forma descontraída como o peregrino cristão deve escalar a montanha. Quem conhece a Deus sabe o quanto é amado por Ele, sabe-se filho, sabe-se amado pelo Pai celeste até mesmo quando erra. Assim, cristão nenhum precisa ter medo de mostrar a Deus suas imperfeições, ao contrário, elas devem ser apresentadas a Ele, que é Misericordioso e é nosso Amigo e Médico. Além do mais, as imperfeições são naturais em todo ser humano, todos erram em maior ou menor grau. Por isso Jesus condenou o coração duro que joga pedra no próximo que peca, pois isso gera uma pessoa hipócrita!

Diante dessa escalada na “montanha da vida”, nossa alma clama por descanso e alegria. A escalada na montanha é exaustiva, requer alegria para apascentar a alma. É o que o autor de Eclesiastes relata: “Então louvei eu a alegria, porquanto para o homem nada há melhor debaixo do sol do que comer, beber e alegrar-se; porque isso o acompanhará no seu trabalho nos dias da sua vida que Deus lhe dá debaixo do sol.” (Ec 8:15). Mas ele termina lembrando que o coração muda devagar, com o tempo, e muitas dessas carências da alma poderão ser saciadas com o tempo.

Não é uma colina, é uma montanha
Quando você começa a escalar
Ouça-me, eu estarei gritando
Nós vamos percorrer todo o caminho para a luz
Mas você sabe que enlouquecerei se eu não ficar louco esta noite

E o Bono reforça novamente o quanto a jornada espiritual será exaustiva, como uma escalada numa montanha, mas aqui ele se dispõe a ajudar e a caminhar junto nessa jornada rumo à Luz, ajudando, sendo companheiro, mas sem esquecer de alegrar o coração para suportar a longa jornada.

Baby, baby, baby, Eu sei que não estou sozinho
Baby, baby, baby, Eu sei que não estou sozinho

Entendo essa estrofe como uma confissão de fé numa das últimas palavra de Jesus aos Seus discípulos: “Eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém.” (Mateus 28:20). Essa esperança, a certeza de não se estar sozinho, gera uma força interior que faz com que ele não desista e suba a montanha.

Não é uma colina, é uma montanha
Quando nós começamos a escalar
Me escute, eu estou gritando
Gritando até que a escuridão solte faíscas de luz

Aqui o Bono reforça novamente o quanto a caminhada até a luz é longa e difícil, mas também descreve sua obstinação em conseguir alcançar a luz. Ele chega ao ponto de ficar“Gritando até que a escuridão solte faíscas de luz”. Esse gesto também expressa seu altruísmo, seu cuidado com o próximo, sua misericórdia. Algo que vemos muito no Bono nas suas campanhas para ajudar os famintos da África. O Bono, como a maioria dos “rockstars” fazem, poderia estar em alguma ilha só curtindo seus dólares, bebendo, se drogando, destruindo hotéis, etc. Mas ele prefere ser fiel aos seus princípios cristãos, mesmo enfrentando críticas de que ele faz isso por auto-promoção. Porém, sua opinião sempre foi calcada em sua fé em Cristo, como vemos nessa frase dele da década de 80:“Para mim a fé em Jesus Cristo, que não está envolvida com justiça social, que não está envolvida com o pobre, não é NADA.” –Bono

Realmente acredito que ainda existe pessoas de boa vontade nesse mundo. Pessoas que procuram seguir a máxima de Jesus de “amar o próximo como a ti mesmo”. Pessoas conscientes, que tem os pés no chão, que lutam por um mundo melhor sem ter o dinheiro como “senhor”. Pessoas altruístas. E acho que a maioria das pessoas que criticam o Bono por ele fazer isso são justamente àquelas pessoas egoístas, ou acomodadas, que não fazem nada pelo próximo e ficam procurando desculpas para se justificarem.

Você sabe que vamos enlouquecer
Você sabe que vamos enlouquecer
Mas eu sei que nós vamos ficar loucos se nós não enlouquecermos esta noite
Oh, oh
Bem devagar agora…

De onde vem essa certeza do Bono de que ficará louco? Talvez essa certeza seja fruto de afirmações como essa a seguir do Evangelho que o Bono confessa crer: “Visto que, na sabedoria de Deus, o mundo não o conheceu por meio da sabedoria humana, agradou a Deus salvar aqueles que crêem por meio da LOUCURA da pregação” (1 Co 1:21). Seguir o Evangelho de Jesus, para o mundo, é mergulhar numa “loucura”. Creio que daí vem a certeza que o fez dizer “Você sabe que vamos enlouquecer”.

Mas enquanto estamos subindo a montanha, há momentos que é preciso alegrar o coração para a alma não desfalecer, mas é preciso prudência, visto que o mundo pode nos passar uma rasteira. Muitas rosas possuem espinhos.

Obrigado a todos pela leitura e até a próxima!

Suderland Guimarães
Twitter: @suderland


Compartilhar notícia