Interpretação: The Wanderer | U2 Brasil
9 de fevereiro de 2014 · Interpretações
Interpretação: The Wanderer
Postado por Suderland

Zooropa é o oitavo álbum de estúdio da banda e nasceu inspirado nas experiências da banda na Zoo TV Tour.

Muitos o consideram uma extensão do “Achtung Baby”, pois dá continuidade às mudanças, na banda, que nasceram sob a influência das transformações ocorridas na Europa cujo grande marco foi a queda do Muro de Berlim.

Em 1994, Zooropa ganhou um Grammy Award de “Melhor álbum musical alternativo”.

Um detalhe interessante é que quem canta essa canção é o lendário Johnny Cash, que emprega sua voz trovejante para dar mais densidade a essa bela e poética composição apocalíptica do U2.

E, como é de praxe, antes da interpretação, vamos às declarações da banda.

.:: Citações ::.

-No Livro U2 by U2, Bono deu a seguinte declaração sobre ” The Wanderer”: “Eu escrevi essa letra baseado no livro de Eclesiastes do Velho Testamento, o qual em alguma tradução é chamado de ‘O Pregador’. É a história de um intelectual com sede por viagens. O pregador quer encontrar o sentido da vida e para isso ele tenta um pouco de tudo. Ele tenta viajar, tem todas as visões, mas não é nada disso. Ele tenta vinho, mulheres e música, mas não é isso. Tudo, ele diz, é orgulho, orgulho de bobagens, se esforçando atrás do vento. Enquanto você lê esse livro, você pensa, ‘Eu mal posso esperar para ouvir o que faz isso!’ E a frase mais extraordinária é: ‘Não há nada melhor para o homem do que comer e beber, e fazer com que sua alma goze do bem do seu trabalho.’ (Ec 2:24) Ame o seu trabalho. É sobre isso. É muito bom amar o que você faz. Eu acho que ainda há muito coisa para se alcançar isso.

A música é o antídoto para o manifesto de incertezas de Zooropa. Mesmo se o álbum começasse com Eu não tenho uma bússola, eu não tenho um mapa – em outras palavras, Eu não sei, mas eu aceito esse estado de incertezas – ‘The Wanderer’ apresenta uma solução possível. Em linhas gerais, sobre o álbum, a chave é aprender a viver com as incertezas, mesmo que seja preciso permitir que a incerteza seja o seu guia. Eu me lembro de tentar ordenar alguns problemas com as frases da música e o Johnny me interrompendo e dizendo, ‘Não, eu gosto quando o ritmo é irregular. Eu quero fazer o inesperado’. Outra lição de um mestre. Mas escutar a voz de um marinheiro ancião cantando sobre sons eletrônicos era um pouco de justaposição e uma das melhores coisas que nós já fizemos.” (trecho do capítulo “Sliding down the surface of things”, U2 by U2)

-A relação da Wanderer com Eclesiastes é bastante clara. De acordo com o Bono, essa relação é que o fez pensar em Johnny Cash para cantar a música: ” Eclesiastes é um dos meus livros favoritos”, diz Bono. ” É um livro sobre um personagem que quer descobrir por que ele está vivo, por que ele foi criado. Ele tenta conhecimento. Ele tenta riqueza. Ele tenta experiências. Ele tenta de tudo. Você se apressa para o fim do livro para descobrir o porquê, e ele diz: ‘Lembre-se do seu Criador.’ De certa forma, é decepcionante… Há algo de Johnny Cash nisso.” (Bono em ” Johnny Cash: Clouded by Sin, Colored by Grace”).

.:: Interpretação ::.

I went out walking through streets paved with gold [Eu saí caminhando pelas ruas pavimentadas com ouro]
Lifted some stones, saw the skin and bones [Levantei algumas pedras, vi pele e ossos]
Of a city without a soul [De uma cidade sem alma]
I went out walking under an atomic sky [Eu saí andando sob um céu atômico]

Como o Bono mesmo disse, a letra fala de um “Pregador”, que é uma referência ao início do livro de Eclesiastes, como podemos ver logo no início do livro: “Palavras do pregador…” (Ec 1:1). Esse pregador , esse andarilho, estava buscando sabedoria, segundo o Bono, tentando “descobrir por que ele está vivo, por que ele foi criado”. Assim, esse Pregador aplicou o seu “coração a conhecer a sabedoria e a conhecer os desvarios e as loucuras” (Ec 1:17). E o que vemos na música é esse “Pregador” andando por um mundo pós-apocalíptico em busca de sabedoria, em busca de conhecer as várias facetas da humanidade a fim de encontrar esperança e sentido para a vida.

Acredito que essa letra se refere a um céu atômico por causa do contexto em que ela foi escrita, que foi logo após a queda do muro de Berlim. Evento que deu fim ao período chamado de “Guerra Fria”, quando o mundo viveu sob o constante perigo de uma guerra nuclear entre os EUA e a URSS. E é nesse mundo pós-Guerra Fria, pós-Muro de Berlim, “pós-apocalíptico”, que se ambienta essa música. E nessa primeira estrofe vemos um sutil contraste de valores. O ouro, metal tão cobiçado pelos homens a ponto de fazerem guerras e assassinarem vidas, está servindo de lastro para pele e ossos de pessoas mortas, por uma guerra nuclear, provavelmente. O precioso metal, tão idolatrado por muitos, não salvou a vidas dessas pessoas . A riqueza, o ouro não as salvou da morte, da trágica guerra.

Where the ground won’t turn and the rain it burns [Onde a terra não dá frutos e a chuva queima]
Like the tears when I said goodbye. [Como as lágrimas quando eu disse adeus.]
Yeah, I went with nothing, nothing but the thought of you. [Sim, eu saí sem nada, nada além de sua lembrança.]
I went wandering. [Eu saí vagueando.]

Sim, esse pregador saiu vagueando , sem nenhuma ostentação, com a missão de encontrar sabedoria mesmo sabendo que caminharia por um mundo onde a terra tão árida que não dá mais frutos e até a chuva, que antes trazia vida para os campos, agora queima . É provável que essa imagem da “chuva que queima” seja uma referência à chuva ácida, que é um fenômeno que ocorre por causa da poluição em excesso jogadas na atmosfera pelo homem .

Contudo, o Andarilho iniciou sua jornada com pesar no coração. Certamente prevendo uma jornada árdua, além da saudade por seus amados entes. E também tendo em mente um dos grandes paradoxos dessa vida relatado pelo autor de Eclesiastes: ” Na muita sabedoria há muito enfado; e o que aumenta em conhecimento, aumenta em dor.” (Ec 1:18) Porque quando nos deparamos e conhecemos as dores e injustiças do mundo, quando percebemos o jogo de manipulação e alienação de uma minoria sobre uma maioria, ou quando vemos que muitos vivem uma vida egoísta e cega pelo brilho do ouro; então esse conhecimento gera dor no coração.

I went drifting through the capitals of tin [Eu fui sendo levado pelas capitais de lata]
Where men can’t walk or freely talk [Onde homem não pode caminhar ou falar livremente]
And sons turn their fathers in. [E filhos falharam com seus pais.]
I stopped outside a church house [Eu parei na frente de uma igreja]
Where the citizens like to sit. [Onde os cidadãos gostam de sentar.]
They say they want the kingdom [Eles dizem que eles querem o reino]
But they don’t want God in it. [Mas eles não querem Deus nele.]

Como essa letra foi escrita pouco tempo após a queda do “Muro de Berlim”, eu vou arriscar e inferir que o termo “capitais de lata” pode ser uma referência poética à expressão “Cortina de Ferro”, que foi usada para designar a divisão da Alemanha em duas partes, a Alemanha Oriental (sob influência da URSS) e a Alemanha Ocidental (sob influência dos EUA) no período conhecido como Guerra Fria. E, como narra a história, a parte oriental não gozou de muita liberdade, não se podia caminhar ou falar livremente. Ou seja, como a história nos mostra, os filhos dos revolucionários russos, que lutavam por uma sociedade socialmente mais justa, “falharam com seus pais”, como a letra diz.

Na segunda parte do estrofe o Pregador viu uma igreja e observou que os cidadãos que estavam nela “diz em que querem o Reino [de Deus]”, mas eles não querem Deus no “reino” que eles sonham. Tendo em mente as várias declarações que Bono já deu sobre religião e essa em especial: “Para mim, uma fé em Jesus Cristo que não esteja aliada à justiça social – que não esteja aliada aos pobres – não é coisa alguma.” (Bono) . Eu entendo esses versos da seguinte forma: andar com Deus requer abrir mão do nosso egoísmo para compartilharmos o que temos com os necessitados, segundo Jesus (Ef 4:28). Requer abrir mão da nossa justiça própria para perdoarmos inimigos, segundo Jesus (Mt 6:12). Requer abrir mão da nossa religiosidade, a tradição dos pais (1 Pe 1:18) para abraçarmos um Caminho Novo , sem placas, deixado por Cristo (Jo 14:5, Lc 5:36-39). É natural que esses cidadãos não queiram um Deus que requer essas coisas anti-naturais. É natural que esses cidadãos queiram um Reino, mas não Deus, já que Ele requer altruísmo, humildade, ajuda aos pobres e perdão para os “inimigos”.

I went out riding down that old eight-lane* [Eu saí dirigindo por aquela velha rodovia]
I passed a thousand signs looking for my own name. [Eu passei por mil sinais procurando pelo meu próprio nome.]
I went with nothing but the thought you’d be there too, [Eu procurei com nada além do pensamento que você estaria lá também,]
Looking for you. [Procurando por você.]
I went out there in search of experience [Eu saí na procura por experiência]
To taste and to touch and to feel as much [Para experimentar, tocar e sentir]
As a man can before he repents. [Como um homem pode antes de se arrepender.]

Essa estrofe reforça a ideia do pregador andarilho que está procurando auto-conhecimento, principalmente quando ele diz que fez uma busca pelo seu próprio nome. É um pregador que busca várias experiências que lhe traga sabedoria. Experiências possíveis antes de se arrepender. Ou seja, ele sabe que experimentar o desconhecido implica na possibilidade de se experimentar algo maléfico, o que, posteriormente, geraria arrependimento. Mas isso não significa que esse pregador iria, por exemplo, experimentar coisas maléficas tendo o conhecimento prévio disso. O objetivo do pregador é adquirir conhecimento, desbravar caminhos desconhecidos.

Esses versos também mostram que há uma pessoa dentre as coisas que o Pregador procura. Essa pessoa é uma das razões desse homem ter largado tudo, família, bens e amigos para desbravar esse novo e desconhecido Caminho de autoconhecimento e sabedoria. Ele caminha sem nada, exceto a certeza de que vai encontrar essa pessoa. E quem é essa pessoa? Na próxima estrofe isso é respondido .

I went out searching, looking for one good man [Eu saí em busca, procurando pelo bom homem]
A spirit who would not bend or break [Um espírito que não se entortaria nem quebraria]
Who would sit at his father’s right hand. [Que sentaria à direita de seu pai.]
I went out walking with a bible and a gun [Eu saí caminhando com uma Bíblia e uma arma]
The word of God lay heavy on my heart [A palavra de Deus pesando em meu coração]
I was sure I was the one. [Eu tinha certeza que eu era o escolhido.]
Now Jesus, don’t you wait up, Jesus I’ll be home soon. [Agora Jesus, não espere, Jesus eu estarei em casa logo.]
Yeah, I went out for the papers, told her I’d be back by noon. [Sim, eu procurei pelos papéis, disse a ela que estaria de volta de meio-dia.]
Yeah, I left with nothing but the thought you’d be there too [Sim, eu saí com nada além do pensamento que você estaria lá também]
Looking for you. [Procurando por você.]
Yeah, I went with nothing, nothing but the thought of you. [Sim, eu saí sem nada, nada além de sua lembrança.]
I went wandering. [Eu saí vagueando.]

Nessa estrofe surge fortes indícios de que a pessoa que o Pregador procura é Jesus Cristo, pois, além dele ser citado, o Evangelho ensina que é Jesus quem está “sentado à direita de Seu Pai” (Lc 22:69) e Ele é também conhecido como o “bom homem” (Lc 18:19), isso porque os textos antigos ensinam que seu corpo era habitado pelo espírito de Deus . Ensinam que Jesus é Deus em forma de homem, de filho , de servo (Fp 2:4-7).

E o pregador era um homem de fé, um homem que saiu rumo ao desconhecido com sua Bíblia em mãos e uma arma… Quem sai numa jornada precisa se proteger, precisa de proteção – material e espiritual – para voltar são e salvo para casa. E essa é a intenção desse Pregador, já que ele disse que “estaria em casa logo.” A proteção espiritual viria da Palavra de Deus contida na Bíblia, pois, c omo o Evangelho explana, ela é “a espada do Espírito” (Ef 6:17) . E é provável que o pregador tenha dito que a “palavra de Deus estava pesando em meu coração”, porque ele tinha a firme convicção de que foi escolhido por Deus , o que ele deve ter encarado como uma grande responsabilidade.

Então o Pregador confessa que saiu à procura de sabedoria sob um céu atômico com a firme convicção de que ele encontraria Jesus nessa jornada. Até porque, no fim, era Jesus quem o Pregador tanto procurava, porque a Bíblia que o Pregador tem em mãos ensina que em Jesus Cristo “estão escondidos todos os tesouros da sabedoria e da ciência.” (Cl 2:3) e quem O encontrar e O conhecer, verdadeiramente, será possuidor delas. Sim, no fim, foi por Ele que o Pregador saiu vagueando.

Obrigado aos fãs do U2 que chegaram até aqui.

Que a sua jornada nessa vida passageira tenha na trilha sonora o U2 e seja repleta de sabedoria!

Cordialmente,
Suderland Guimarães
@Suderland 


Compartilhar notícia