Interpretação: When I Look At The World | U2 Brasil
21 de janeiro de 2011 · Interpretações
Interpretação: When I Look At The World
Postado por Suderland
whenilook

Antes da interpretação propriamente dita, veja este trecho de uma entrevista onde o Bono fala sobre a letra da música:

“Eu estava muito abalado com o bombardeio de Omagh, mas a razão pela qual a minha fé sobreviveu a isso, a razão pela qual eu sobrevivo à esses terrores do mundo, é que eu não me surpreendo com o diabo. Para mim, nós vivemos em uma selva e eu estou esperando a qualquer momento que alguma coisa vai tentar me comer. Eu estou sempre alerta. Eu fico mais surpreso quando a pancada não é lançada. Mas isso não me faz um cínico. De fato, é o oposto. Eu fico maravilhado com a capacidade das pessoas de se sacrificarem pelos outros. Eu fico maravilhado como as pessoas podem demonstrar amor onde não se é esperado e como o amor pode unir grupos diferentes. Eu fico simplesmente maravilhado com os seres humanos. Mas eu nunca me surpreendo quando o tempo fica sujo e eu tento me planejar pra isso. Eu amo isso porque o sol está alto, e eu estou pronto para o momento quando ele não está.

Nem todo mundo a minha volta sente a mesma coisa. Eu tenho visto a fé das pessoas se abalar diante de uma tragédia, algumas pessoas muito próximas de mim. É sobre isso que fala a música ‘When I Look At The World’. É uma música frágil, mas também muito forte. Eu tenho escutado algumas pessoas sugerirem que ela é um retrato da Ali. Eu certamente fui culpado por colocar a Ali em um pedestal no passado, o que pode ser desumano porque livra as pessoas da sua complexidade. Mas eis aqui uma confissão, nessa música, eu me coloquei num pedestal. Ela é escrita do ponto de vista de uma pessoa que está tendo uma crise de fé, olhando para alguém que construiu sua casa sobre uma rocha” (Bono).

Detalhe, uma das auto-descrições que Jesus fez foi justamente a de que Ele é a rocha sobre a qual devemos contruir nossa “casa”, ou seja, nossa vida, nossa esperança, nosso amor. “Todo aquele, pois, que escuta estas minhas palavras, e as pratica, assemelhá-lo-ei ao homem prudente, que edificou a sua casa sobre a rocha;” Mateus 7:24

.::When I Look At The World::.

When you look at the world [Quando você olhar para o mundo]
What is it that you see? [O que é que você vê?]
People find all kinds of things [As pessoas encontram todos os tipos de coisas]
That bring them to their knees [Que as deixam de joelhos]
I see an expression [Eu vejo uma expressão]
So clear and so true [Tão clara e tão verdadeira]
That it changes the atmosphere [Isso muda o clima]
When you walk into the room [Quando você entra na sala]

Bono começa a música perguntando para alguém: “Quando você olhar para o mundo o que é que você vê?”. É uma questão reflexiva. O que vemos quando olhamos para o mundo hoje? Nesses dias de dores o que salta aos nossos olhos quando observamos o mundo são os rostos angustiados e desesperados de centenas de pessoas que foram surpreendidas por horríveis tragédias.

Então o Bono cita pessoas procurando todos os tipos de coisa, onde entendo que ele quis expressar a angústia humana por encontrar um sentido para a vida, uma busca para preencher o vazio existencial que todo ser humano carrega e que cada um procura preencher da sua forma. Uns trabalhando loucamente sem parar, outros correndo desenfreadamente atrás da fama, outros se drogam para suportar as dores da vida, outros projetam todas suas emoções e adoração a uma pessoa/objeto, que mais cedo ou mais tarde morrerá e piorará a sensação de vazio, outros se escondem atrás de uma grossa e áspera casca. E o desespero para se alcançar essas coisas as deixam de joelhos.

Então algo acontece… Alguém, entra em cena com uma expressão tão clara e verdadeira que muda o clima, traz novo ânimo ao Bono e luz ao ambiente. Levando-se em conta o comentário do Bono que postei no início e o último estrofe dessa letra, fica claro que essa pessoa é Deus.

So I try to be like you [Então eu tento ser como você]
Try to feel it like you do [Tento sentir tudo como você]
But without you it’s no use [Mas sem você não adianta]
I can’t see what you see [Eu não posso ver o que você vê]
When I look at the world [Quando eu olho para o mundo]

Então, mediante aquela sensação tão pacífica, longanânima e verdadeira que mudou a atmosfera, aliviou o clima pesado que imperava, o Bono confessa que tenta ser como Deus, ou seja, tenta sentir como Deus, ver como Ele, mas constata que isso só é possível com a ajuda dEle, pois sozinho ele não consegue ver o que Deus vê. Entendo que é para Deus a pergunta no início da música: “Quando você olhar para o mundo o que é que você vê?”

Entendo que essa pergunta expressa sua incompreensão diante do fato de que “Deus é amor”, como o Evangelho descreve em I João 4:8, entretanto quando o Bono olha para o mundo o que ele vê é dor, egoísmo, intolerância, ódio e tragédias. Assim, creio que o que ele não “vê” é a resposta para a pergunta: Qual é o propósito desse sofrimento? Porque Ele permite tanta dor e sofrimento? Só vendo com a onisciência de Deus para entender Seus desígnios, as razões das coisas que hoje não compreendemos. Mas no próximo estrofe vemos que Bono está apenas expressando sua incompreensão, mas sua fé e seu amor a Deus continua firme.

When the night is someone elses [Quando a noite é de alguém]
And you’re trying to get some sleep [E você está tentando dormir]
When your thoughts are too expensive [Quando seus pensamentos são muito custosos]
To ever want to keep [Para querer mantê-los]
When there’s all kinds of chaos [Quando há todo tipo de caos]
And everyone is walking lame [E todos estão andando em falso]
You don’t even blink now, do you [Você nem pisca, não é]
Or even look away [Nem desvia o olhar]

Aqui Bono se colocar no lugar de Deus quando está olhando para esse mundo caótico e o visualizou e descreveu como um pai que fica olhando o filho de longe e o vê andando em falso, quase caindo. Bono crê que nessa hora Ele, por amar o indivíduo, “nem pisca os olhos” diante da sua caminhada errante e em falso. Ele sequer consegue desviar o olhar. Então porque Deus não age? Sobre isso farei uma pequena ilustração* no fim dessa interpretação a quem interessar, para responder essa pergunta. No momento vou me ater somente à letra.

É interessante ver a fé e o amor do Bono por Deus, pois mesmo ele não conseguindo ver o que Deus vê, ele crê no amor de Deus e por isso descreve Deus se preocupando com cada um de nós a ponto de “nem piscar os olhos” quando alguém está andando em falso, quando estamos rodeado pelo mal. Ele não entende os desígnios de Deus, mas mesmo assim crê no Seu amor por nós. E mais uma vez você pode perguntar: então porque Deus não impede que o mal se abata sobre Seus filhos? Repito, no final dessa interpretação farei uma pequena ilustração* a respeito.

So I try to be like you [Então eu tento ser como você]
Try to feel it like you do [Tento sentir como você]
But without you it’s no use [Mas sem você não tem jeito]
I can’t see what you see [Eu não consigo ver o que você vê]
When I look at the world [Quando eu olho para o mundo]

Então mais uma vez Bono revela seu desejo de ser como Deus, que é amor, de sentir o que Deus sente, de entendê-Lo, de conhecer Seus desígnios para ver o que somente Deus é capaz de ver em Sua onisciência. Mas Bono sabe que por suas próprias forças isso não é possível. Somente com uma revelação de Deus ele poderá entender. E esse desejo é fruto da angústia de ver tanta dor no mundo, que desperta uma sede de justiça, mas também gera insegurança no homem.

I can’t wait any longer [Eu não consigo esperar mais]
I can’t wait till I’m stronger [Eu não posso esperar até ser mais forte]
Can’t wait any longer [Não consigo esperar mais]
To see what you see [Para ver o que você vê]
When I look at the world [Quando eu olho para o mundo]

Aqui Bono extravasa sua angústia diante do caos no mundo, consequência de olhar para esse mundo egoísta, violento e cheio de catástrofes. Ele não consegue mais ficar olhando tudo isso sem poder fazer nada. Conhecimento é poder, daí o desejo dele de ver o que Deus ver, pois assim ele seria mais forte. E a raiz desse desejo é a vontade primitiva de se ter controle sobre o desconhecido e o imprevisível; sobre o bem e o mal; sobre a vida e a morte.

Entretanto Jesus mesmo disse ao apóstolo Paulo: “A minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza.” (2 Coríntios 12:9) É nas nossas fraquezas que Deus nos fortifica, nos molda, nos amadurece. Quando nos achamos forte, ficamos arrogantes, egoístas e mal nos lembramos de Deus ou do próximo. Por outro lado, nós nos buscamos Deus na hora da dor. Nessa hora até o ateu se levanta para questionar: “Cadê Deus?”

Ou seja, quando nos rendemos, quando nos prostramos e silenciamos diante de Deus, por não termos mais força, por reconhecer e assumir nossas limitações; quando percebemos que nosso orgulho só nos cega e o jogamos na lata do lixo, então começamos a ver o que Deus vê. Começamos a entender a espiritualidade de Deus. Deus se revela aos que O buscam sinceramente e de coração. É isso que diz versículo que o Bono deixou famoso ao referênciá-lo na capa do álbum “All That you can’t leave behind”, Jeremias 33:3, que diz: “Clama a mim, e responder-te-ei, e anunciar-te-ei coisas grandes e firmes que não sabes.”

I’m in the waiting room [Eu estou na sala de espera]
Can’t see for the smoke [Não consigo vê por causa da fumaça]
I think of you and your holy book [Penso em você e no seu livro sagrado]
While the rest of us choke [Enquanto o resto de nós sufoca]

Quanto ao estrofe acima, o próprio Bono revelou o seu sentido na mesma entrevista que citei no início, pois fiquemos com suas próprias palavras:

“A última imagem é um tanto quanto fria. Tá quase irritado com a fé de outra pessoa. Eu não sei porque ela se passa em uma sala de espera de um hospital, quando as pessoas ainda podiam fumar nesses lugares. É muito pesado, eu mal posso pensar sobre isso. Podia quase ser a voz do meu pai, olhando pra mim. O olhar com raiva. O sufoco. Mas essa é justamente a coisa que corre pelo álbum, que lhe dá coesão, o anel da verdade, conectando com o que estava acontecendo na minha vida, conectando com o meu pai e com a minha mãe, que é provavelmente o que tudo isso traz à tona, porque eu nunca mais estive em uma sala de espera cheia de fumaça desde que eu tinha quatorze anos de idade. Eu sempre fico muito maravilhado quando acontece esse tipo de coisa.”

Ou seja, nessa última estrofe o Bono descreveu uma dor que permeia seu subconsciente, uma dor que é fruto da época em que o pai dele estava doente no hospital e da morte de sua mãe. Isso denuncia o jovem Bono dentro do velho Bono ainda suspirando com as dores do passado. Mas mesmo depois de tudo isso que ele passou o Bono lembra de Deus e da Sua Palavra que está na Bíblia Sagrada, como ele disse: “I think of you and your holy book”.

Em algumas entrevistas ao longo da carreira o próprio Bono confessou que, na sua juventude, foi a leitura da Bíblia num grupo de estudo que o tirou do fundo do poço onde ele estava após a morte de sua mãe e lhe deu uma Rocha sobre a qual ele construiu sua casa, como ele mesmo relatou no trecho da entrevista que postei no início. Em outras palavras, quando ele estava no meio de uma grande escuridão, ele buscou a Luz de Deus para que sua noite existencial virasse um belo dia de sol.

E o interessante é que quando o pai dele estava morrendo no hospital ele ofereceu o mesmo remédio para tentar aliviar a dor do seu “old man”, leituras diárias da Bíblia ao pé da cama do pai, segundo o próprio Bono.

Tell me, tell me, what do you see? [Me diga, me diga… o que você vê?]
Tell me, tell me, what’s wrong with me [Me diga, me diga… o que há de errado comigo]

E mais uma vez o Bono implora por compreensão para aplacar suas dúvidas e chega até a perguntar se o problema está nele. Isso porque, geralmente, acreditamos que Deus vira as costas para nós quando fazemos algo de errado/pecamos. Acreditamos que em caso de erro devemos fazer algum sacrifício para receber perdão, mas isso não é verdade, segundo o que o próprio Jesus ensinou: “Por isso te digo que os seus muitos pecados lhe são perdoados, porque muito amou; mas aquele a quem pouco é perdoado pouco ama.” (Lucas 7:47).

* Agora vou responder a pergunta: porque Deus não impede que o mal se abata sobre nós com uma simples ilustração. Tente imaginar a seguinte situação, se veja como um pai ou mãe que tem total controle sobre a vida do filhos, mas para que ele amadureça e se torne homem é preciso andar sozinho, tropeçar, cair, levantar sozinho, interagir com outros amigos, aprender a compartilhar, aprender a amar, etc. E imagine também que essa lição duraria só 7 min da sua vida que duraria uma eternidade. Agora imagine que a pior coisa que poderia acontecer com o filho é que ele sofresse algum grave acidente e morresse, mas o detalhe IMPORTANTE é que quando ele morre, ele volta para a casa, para o aconchego do lar e os cuidados dos pais sem nenhum arranhão. E que a dor que ele sentiu ele nem lembra mais. Agora eu pergunto: você prenderia seu filho em casa numa caminha de grade ou deixaria ele ir aprender a viver para virar um ser humano maduro? A vida não é o fim, não o objetivo final. Deus em Sua Palavra nos diz que estamos aqui de passagem, como peregrinos a caminho do seu doce e verdadeiro lar.

E raciocinando de forma fria, se Deus não existe então essa vida é uma realidade extremamente fria, dura, injusta, ilógica, sem sentido, sem razão de ser. Nascemos por mero acaso, vivemos sem propósito algum e mergulharemos no escuro e frio abismo do nada quando morrermos. E essas tragédias se tornam ainda mais duras e absurdas. Por outro lado, se há um Criador, alguém que criou todo esse exuberante universo regido por leis matemáticas exatas e precisas, então Ele é onisciente, fomos criados por ELE com um propósito.

E o Bono deseja ver o que Deus vê porque ele sabe que “O SENHOR não vê como vê o homem, pois o homem vê o que está diante dos olhos, porém o SENHOR olha para o coração.” (1 Samuel 16:7)

Cordialmente,
Suderland Guimarães
twitter: @suderland


Compartilhar notícia