Zooropa – Sonoridade imersiva | U2 Brasil
13 de Abril de 2015 · Especial Álbuns
Zooropa – Sonoridade imersiva
VictorRuyzPostado por VictorRuyz

Durante a Zoo TV, como de costume, viveram diversões extracurriculares, como por exemplo em 1992, quando The Edge anunciou a inserção dos Yardbirds ao Rock and Roll Hall of Fame. Nos estádios, contariam com convidados especias: desde Axl Rose, em Viena, à Steven Tyler e Joe Perry em Paris. Também estariam presentes Benny Andersson e Bjorn Ulvaeus, em Stockholm, para uma inesperada versão de “Dancing Queen”.

A produção de “Zooropa” começara no início de 1993, durante o intervalo entre os shows agendados.  Desta vez, três estúdios de Dublin foram usados: Westland, The Factory e, de praxe, Windmill Lane.

O álbum surgiu nas lojas em Julho, apenas 20 meses após o nascimento de “Baby”, e entre nada menos que 100 concertos. The Edge explicara a maratona pela qual passavam, à revista Q: “Acho que ainda estamos surfando na onda de criatividade e energia de ‘Achtung Baby’, e da Zoo TV, ao fazermos ‘Zooropa’.  É a mesma inspiração explosiva.”

Pela primeira vez, The Edge foi nomeado como co-produtor do álbum. Junto dele, estavam Brian Eno e – na ausência de Daniel Lanois – Mark “Flood” Ellis.

“Quando criamos ‘Achtung Baby’, estávamos à procura de um novo território musical; na gravação de ‘Zooropa’, já tínhamos esse território estabelecido, então estávamos mais confiantes.”.
The Edge, em entrevista à revista Q.

Uma das grandes conquistas do álbum fora a premiação recebida com o Grammy de Melhor Álbum Alternativo. Tal prêmio foi o testemunho do espírito inquisitivo contínuo de uma banda de rock que investe em paisagens frescas, com entusiasmo voraz.

“O som de uma banda trocando de pele.”
Revista Spin.

O tiro inicial de “Zooropa” foi “Numb”. Escolhida para ser single principal, em Junho, soava como um mantra cheio de efeitos sonoros.  Era descompromissada, à beira de um cenário da industrial dance, deixando claro o curso futurista que havia sido trilhado nos estúdios.

Foi-se oferecido um vasto cardápio de sons, juntamente com um instrumental banhado em cores e efeitos, além de um Bono que agora utilizava-se do uso de falsetes em algumas músicas, tais quais a própria “Numb”, a discoteca “Lemon” e a tenra “The First Time”.

O single “Stay (Faraway, So Close!)” foi usado, em uma versão alternativa, no filme de Wim Wenders, cujo titulo é o mesmo ao da música. Com isso, “Stay” foi indicada ao Globo de Ouro na categoria de Melhor Trilha Original. A canção também foi número 1 na Irlanda e pairou no top 5 do Reino Unido. Ao decorrer do álbum, como o próprio Bono admitira, suas letras exploravam áreas em que ele estava apenas começando a entender a si próprio.

“Há um certo sentimento maldoso em coisas como ‘Daddy’s Goona Pay For Your Crashed Car’. Esta música pode tratar a respeito de dependência ou algo ainda mais sinistro. É um blues eletrônico; meu lado Robert Johnson.”

O álbum conta com uma das mais notáveis colaborações na história do U2. Um Johnny Cash, aos 60 anos, assumiu os vocais na faixa final, “The Wanderer”.  Assim como ocorrera com B.B. King alguns anos antes, a fascinação da banda com alguns verdadeiros ícones da música americana ajudou-os a um feito notável com outro herói.

A experiência extravagante de Zoo TV evoluíra conforme “Zooropa” era concluído. Depois de um verão inteiro ao redor da Europa, os espetáculos voltaram para Dublin, no fim de Agosto, antes de reiniciarem, na Nova Zelândia (“New Zooland”), aquilo que agora chamariam de “Zoomerang”.

Após aparecer no topo das paradas do Reino Unido, Estados Unidos, Austrália, e toda Europa, “Zooropa” venderia algo em torno de sete milhões de cópias. Mas não só isso. Era a validação de que, mesmo nessa altura, o U2 continuava sendo uma relação única entre quatro amigos.

“A banda começou fazer mais sucesso e conquistar mais coisas, e aí você descobre que as pessoas que mais sabem a respeito de você são justamente os outros três caras da banda. É realmente a combinação mais animadora, para qualquer membro do U2, porque estamos juntos tentando descobrir o que se passa lá fora.”
Adam Clayton.

Fonte:

udiscovermusic


Compartilhar notícia

  •  
  •  
  •  

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever-se  
Notificar-me de