Quem foi Greg Carroll e sua importância para o U2
Quem foi Greg Carroll e sua importância para o U2
01 de dezembro de 2019
Quem foi Greg Carroll e sua importância para o U2
Marina
Newsposter e colunista do U2 Brasil

Quando a The Joshua Tree Tour 2019 iniciou-se na Nova Zelândia, vimos homenagens nos shows a Greg Carroll – neo-zelandês que tornou-se roadie da banda. Assim é que o U2 trouxe de volta ao seio da banda, por alguns instantes, um querido membro de sua equipe. Honrando a memória do velho amigo, reviveram os momentos passados com ele durante cerca de 2 anos juntos.

Era o ano de 1984 e o U2 se preparava para um show na Nova Zelândia. Bono caminhava pelas ruas de Auckland quando conheceu o jovem Carroll, de origem maori. Ele e seus amigos decidiram levá-lo até One Tree Hill . "A colina de uma árvore", na verdade, é um vulcão na Nova Zelândia.

Greg Carroll e sua ex-namorada, Carol Coleman. (Foto: Arquivo pessoal)

É preciso conhecer a história peculiar do lugar para entender a importância desse encontro. Quando os ingleses chegaram ao país, a colina originalmente chamava-se Maungakiekie e foi transformada em uma grande fazenda para criação de ovelhas. Ali havia uma árvore que se destacava por resistir sozinha, no alto da colina – daí o nome One Tree Hill. Reinando absoluta nas alturas, era considerada sagrada para o povo maori. No entanto, os ingleses na expansão da colonização, cortaram a árvore sagrada – o que foi motivo de profunda revolta do povo maori.

Acreditando que seria possível reparar o erro, tentaram replantar a árvore. Foram várias as tentativas frustradas, até que uma semente da Inglaterra ali germinasse. Obviamente, o povo maori não ficou satisfeito que a árvore tivesse origem estrangeira e, por décadas, tentaram derrubar a árvore plantada. Em 1994 houve uma tentativa de incêndio e, em 2000, uma tentativa de corte que fragilizou a árvore. Hoje, no lugar da árvore solitária que dá nome ao lugar, há um obelisco em homenagem ao povo maori.

Certamente naquela ocasião, ao lado do jovem Greg Carroll, Bono conheceu sobre o povo maori e sua ligação especialíssima com o local. Conheceu sobre a colonização do lugar e, claro, sobre toda a mística da árvore sagrada e da colina para os nativos. O encontro rendeu frutos e Bono convidou Carroll para ser ajudante de palco. Ali, destacou-se nas atividades, o que fez com que Paul McGuinness – empresário da banda naquela época – convidasse Greg para acompanhar a banda por toda a tour The Unforgettable Fire. E, depois, para acompanhar a banda pelo mundo.

Greg Carroll e Carol Coleman na época de colégio. (Foto: Arquivo pessoal)

Àquela época, o U2 ganhava o mundo e tornava-se um sucesso de vendas. Sendo parte da equipe, Greg participou da icônica performance do U2 no Live Aid, em 1985.

Greg faleceu aos 26 anos em Dublin, em um acidente. Era 03 de julho de 1986 e ele estava pilotando uma moto de Bono. Àquela altura, já tinha se tornado um grande amigo da banda, especialmente de Bono e sua esposa Ali. O acidente foi trágico e sua morte, tão prematura, atingiu em cheio o ânimo da jovem banda que começava a despontar para o mundo.

“Foi um golpe devastador. Ele estava me fazendo um favor, levando minha moto para casa." - Bono

“Sua morte realmente nos abalou – foi a primeira vez que alguém do nosso círculo de trabalho tinha morrido.” - Larry

“Greg era como um membro da família, mas o fato de que ele estava sob a nossa asa e tinha viajado tão longe de casa para trabalhar conosco em Dublin, tornou tudo muito mais difícil de se lidar.” - The Edge

“Ele inspirou a consciência de que existem coisas mais importantes do que o rock 'n' roll. Com a sua família, seus amigos e, na verdade, com os outros membros da banda, você não sabe quanto tempo resta com eles.” - Adam

Em sua passagem pela Nova Zelândia neste ano de 2019, a banda foi vista em One Tree Hill, onde Carroll e Bono passearam juntos na primeira viagem ao país. Nos shows, a canção de mesmo nome foi tocada em homenagem a Greg.

"One Tree Hill", canção do álbum The Joshua Tree, lançado em 1987, foi composta depois do falecimento de Greg, em homenagem ao amigo. A canção revela trechos particulares da geografia do lugar e os entrelaça à história da morte de Greg Carroll, para falar, ao final, sobre o sentimento envolvido na separação definitiva do amigo. Embora não seja um dos clássicos do U2 ou uma de suas canções mais conhecidas, é uma unanimidade entre os fãs quanto à sua sensibilidade e genialidade.  Para quem ainda não observou, destacamos o trecho final, perfeita descrição de características geográficas e sentimentos.

“Nós meio que o adotamos, ou talvez fosse o contrário. Mas ficamos muito gratos por sua companhia nesses momentos preciosos juntos. Ele foi tirado de nós muito cedo, mas de certa forma, ele ainda está muito presente. Então, isso é para Greg Carroll.” - Bono no show em Auckland

Se você observar a foto acima, do topo da colina é possível avistar o mar. A chuva, uma metáfora clara da tristeza. A canção:

Raining, raining in your heart
Raining in your heart
To the sea

Oh great ocean
Oh great sea
Run to the ocean
Run to the sea

Deixamos aqui a homenagem do U2 a Greg Carroll:


Compartilhar no Facebook
Compartilhar no Twitter
avatar
  Inscrever-se  
Notificar-me de
Notícias relacionadas
U2 lança novos remixes com DJs indianos
Tóquio, Japão – 05/12/19
05 de dezembro de 2019
Tóquio, Japão – 04/12/19
04 de dezembro de 2019
SIGA O U2BR NAS REDES SOCIAIS
SIGA O U2BR NAS REDES SOCIAIS
parceiros
apoio
ouça a rádio oficial
CONTRIBUA COM O NOSSO PROJETO. CLIQUE AQUI PARA SABER COMO.
© 2006-2019 U2 Brasil PROJETO GRÁFICO: NACIONE™ BRANDING Special thanks to Kurt Iswarienko and Paul White (Photography)