Especial Boy 40: As primeiras músicas
Especial Boy 40: As primeiras músicas
16 de junho de 2020
Especial Boy 40: As primeiras músicas
“Street Mission” e “The Fool”, as primeiras canções do U2 originadas dos ensaios de Adam e Edge.
Rubens
Newsposter e colunista do U2 Brasil

Foi no final de 1977 que o The Hype, depois de se apresentar em alguns locais por Dublin tocando covers e outras canções feitas por Bono, decidiu se concentrar em Street Mission e The Fool, duas músicas originais do grupo que entrariam no repertório posteriormente, e também em uma gravação de estúdio.

Adam conta no livro "U2 by U2" que Street Mission surgiu entre os encontros com o The Edge, já que Larry sempre dependia de carro para transportar a bateria, e, portanto, não estava presente em todos os encontros, e Bono precisava de transporte para chegar até os ensaios, então não era sempre que o quarteto se reunia.

"Foi daí que surgiu ‘Street Mission’, que se tornou a nossa música de referência. Eu e o Edge  compusemos os versos básicos e depois o Bono, numa das suas saídas, compôs o refrão e deu a ideia para a letra", conta Adam Clayton.

Os relatos da época apontam que Street Mission e The Fool foram performadas pela primeira vez em fevereiro de 1978, em um show feito no porão da escola Mount Temple.

U2 em show no Liberty Hall, em Dublin

Pouco se sabe da primeira gravação banda de fato, que continha Street Mission e The Fool. Essa primeira sessão do quarteto foi feita a partir de um ensaio na Mount Temple. Hoje, o próprio grupo pouco fala dessa primeira experiência com a primeira gravação. O que sabe da época é que outras músicas autorais eram performadas pela banda nos pequenos shows pela capital irlandesa, como: Life On A Distant Planet, Cartoon World, Speed Of Life, Concentration Cramp, So Sad, In Your Hands. Estes relatos podem ser encontrados no livro de Neil McCormick, "The Unbelievable Book".

Street Mission e The Fool tinham características do pós-punk que o mundo estava experimentando, principalmente com a acensão do The Clash, Sex Pistols, Ramones. Ainda no livro biográfico da banda, Bono se recorda de como era a canção:

"O mais interessante de ‘Street Mission’ era o final, um faboloso solo de guitarra num registo temporal completamente diferente. Todas as pessoas diziam que havia regras no punk, tais como não haver solos de guitarra. Mas nós dissemos: 'Nós tocamos solos de guitarra se quisermos'. Nunca iríamos ser uma banda punk, pois estávamos interessados em outras coisas como, por exemplo, no lirismo da música do Edge."

Em 1981, anos mais tarde, Bono perdeu uma mala com manuscritos originais das primeiras canções do The Hype. Somente em 2004, a mala retornou ao Bono, e havia vários rabiscos de letras, entre elas, Street Mission e The Fool.

Pedaço de The Fool digitado em uma máquina de escrever, encontrado na mala perdida por Bono em 1981.

The Fool também foi uma letra que surge da revolta de Bono com os acontecimentos na Irlanda. Ele se recorda, em "U2 by U2", sobre como a imaginou:

"Tínhamos estudado teatro na escola e havia uma ideia Shakespeariana na minha cabeça. Queria criar uma personalidade que fosse o oposto de Ziggy Stardust, que não fosse super legal, que fosse talvez muito pouco legal e infantil e se safasse sempre ao dizer o que lhe apetecia. A letra mudava sempre que eu a cantava, mas quando tive de escrever para fazer um esboço, cheguei à conclusão de que era uma porcaria. ‘Alive in na ocean, a world of glad eyes, insane!’ isso era um verso. ‘They call me the fool. I’m gonna break all the rule.’ Meu Deus!".

O fato é que Street Mission e The Fool foram reaproveitadas na segunda passagem da banda por um estúdio. As canções também serviram de base para o restante do ano de 1978, cujo o grupo se consolidou mais na cena irlandesa.

+ Confira aqui os outros capítulos do nosso especial

Notícias relacionadas
SIGA O U2BR NAS REDES SOCIAIS


SIGA O U2BR NAS REDES SOCIAIS
parceiros
apoio
ouça a rádio oficial
CONTRIBUA COM O NOSSO PROJETO. CLIQUE AQUI PARA SABER COMO.
© 2006-2022 U2 Brasil PROJETO GRÁFICO: NACIONE™ BRANDING Special thanks to Kurt Iswarienko and iinchicore (Photography)