Especial Boy 40: Gravações e a busca de uma gravadora
Especial Boy 40: Gravações e a busca de uma gravadora
05 de agosto de 2020
Especial Boy 40: Gravações e a busca de uma gravadora
Entre o final de 1978 e o início de 1979, a banda passou um tempo dentro de estúdios gravando demos, na esperança de que suas canções impressionassem alguma gravadora. Mas o caminho não foi fácil.
Rubens
Newsposter e colunista do U2 Brasil

Por volta de novembro de 1978 a fevereiro de 1979, a banda passou um tempo dentro de estúdios gravando demos.

No final de 78, o grupo esteve no Keystone Studios de Dublin, agora com o produtor Barry Devlin, para gravar as canções "Street Mission", "The Dream Is Over", "Shadow and Tall Trees" e "The Fool". Em 2004, uma cópia desta fita demo foi encontrada no eBay, contendo as três canções. A gravação no eBay identificava a real data da sessão como 1 de novembro de 1978, e que a fita foi duplicada no Trend Studios, em Dublin. O leilão do eBay também incluiu letras datilografadas para "Street Missions" (no plural) e "The Fool", incluindo letras manuscritas para "Shadows And Tall Trees". Bono assinou elas como "Paul Vox", já que não havia ainda adotado Bono como o seu nome artístico.

Devlin revelou  que tinha começado a trabalhar em uma quarta canção com o U2 durante esta sessão. Supõe-se que teria sido "Stories For Boys".

"No estúdio eu tive a mesma experiência que Jackie Hayden teve na sua primeira sessão de demos com a banda, em que o pai do Larry veio e o levou embora antes que a sessão tivesse terminado. Eu disse a ele: "Desculpe-me Sr. Mullen, não terminei com as partes da bateria". Mas isto não o impressionou e Larry foi levado embora. Seja o que for que estavam fazendo no estúdio naquela noite, eles não estavam conseguindo um resultado satisfatório – foi uma demo cruel, que tem que ser ditom foi principalmente por minha causa. Eu realmente gostei deles – mas era óbvio que não fazia sentido eu estar ali naquele momento em torno deles. Eu vim de uma perspectiva onde a guitarra tinha o blues como base, e não o tipo de estilo que The Edge estava tocando. Mas lembro que mesmo assim a 'Orquestra The Edge' já estava se tornando aparente. Era muito evidente para mim que havia algo de novo sobre a maneira que eles tocavam".

Edge falou sobre esta sessão nas notas do encarte digital de "The Complete U2":

"Quando o U2 entrou em estúdio pela primeira vez, no outono de 1978, com o homem de frente do 'Horslips', Barry Devlin, nós estávamos em boas mãos. Barry tinha uma grande experiência em estúdios de gravação e conseguiu orientar alguns jovens inexperientes ao longo do processo. O resultado, naquelas nossas primeiras tentativas de capturar nossa música escrita, é o som de uma banda ainda tentando se familiarizar com o estúdio de gravação. Acabamos voltando lá quatro meses mais tarde, com o próximo lote de canções, muitas das quais acabaram no álbum 'Boy', e gravamos estas demos como eram em nossos shows ao vivo; desajeitados, apaixonados e inspiradores. Isso não nos trouxe um contrato de gravação, mas Bono colocou elas em cada publicação de música em revistas do Reino Unido, e este interesse em nos cobrir nestas publicações, chamou a atenção da Island Records."

Já no início de 79, a banda retornou aos estúdios novamente, desta vez de Eamon Andrews, para gravar "Twilight", "Alone In The Light", "Another Time, Another Place", "The Magic Carpet" e "I Realize". É desconhecido se alguém trabalhou como produtor nesta sessão, ou se o U2 só trabalhou com o engenheiro de som Dave Freeley. As músicas gravadas nesta sessão têm circulado em gravações piratas, e podem ter sido originárias das fitas demo que Paul McGuinness entregou para várias gravadoras na esperança de conseguir um contrato para o U2.

A banda, no entanto, não parecia muito satisfeita com o recém-empresário, Paul McGuinness, o que fez Bono, Ali Hewson (esposa) e uma amiga viajarem a Londres para conversar om executivos de gravadoras e escritores musicais. Esta visita à capital inglesa rendeu contatos com jornalistas britânicos de revistas conceituadas da época, como Dave McCullough da Sounds Magazine, e Chris Westwood da Record Mirror. Foi na Record Mirror que a banda conseguiu a primeira capa de revista fora da Irlanda, posteriormente em novembro de 79.

Record Mirror November 10, 1979

Meses mais tarde, ao enviar a demo para a gravadora britânica, RSO Records, Bono recebeu uma carta em sua casa, na Cedarwood Road, 10, Dublin, bem no dia do seu aniversário - 10 de maio, que dizia terem sido rejeitados por não produzirem algo compatível com o que a gravadora estava buscando.

Esta rejeição se tornou pública nas últimas décadas, duranta a qual grandes portais tiveram acesso à famosa carta de rejeição do U2 em 1979. A negativa durou pouco, pois alguns meses mais tarde a banda conseguiu um acordo com a Island Records, mas isso é assunto para os próximos capítulos do especial.

Perdeu algum capítulo anterior do especial? Clique aqui!

Notícias relacionadas
SIGA O U2BR NAS REDES SOCIAIS


SIGA O U2BR NAS REDES SOCIAIS
parceiros
apoio
ouça a rádio oficial
CONTRIBUA COM O NOSSO PROJETO. CLIQUE AQUI PARA SABER COMO.
© 2006-2022 U2 Brasil PROJETO GRÁFICO: NACIONE™ BRANDING Special thanks to Kurt Iswarienko and iinchicore (Photography)