Larry Mullen Jr. deve ficar de fora dos palcos em 2023
Larry Mullen Jr. deve ficar de fora dos palcos em 2023
06 de dezembro de 2022
Larry Mullen Jr. deve ficar de fora dos palcos em 2023
Baterista revelou em entrevista exclusiva ao The Washington Post que precisa cuidar de seus problemas físicos.
avatar.php?gravatar_id=5fd906f2ef79b15bb7b0a25bc3c9bbc5&default=
Rômulo
Editor-chefe do U2 Brasil

Após 46 anos e 26 turnês com o U2, Larry Mullen Jr. supostamente vai ficar de fora de qualquer turnê que a banda possa realizar em 2023 para lidar com alguns problemas físicos.

“Eu realmente gosto de tocar e gosto do processo de tocar e estar na companhia de pessoas criativas”, disse Mullen em uma entrevista recente com Geoff Edgers do The Washington Post, a primeira entrevista do baterista em sete anos. “Eu não me importo se é grande ou pequeno. Eu realmente sinto falta do público. Sinto falta dessa interação, embora esteja sentado atrás de uma bateria. Meu corpo não é o que costumava ser fisicamente. Como ano que vem, não vou me apresentar ao vivo... Não sei qual é o plano da banda. Fala-se de todos os tipos de coisas."

O baterista expressou seu profundo compromisso com a banda, a qual ingressou em 1976 quando tinha apenas 14 anos, e confirmou que ficaria de fora de qualquer turnê da banda em 2023 para se recuperar. “Tenho muitos problemas físicos, cotovelos, joelhos, pescoço e, portanto, durante o COVID, quando não estávamos tocando, tive a chance de dar uma olhada em algumas dessas coisas”, compartilhou Mullen. “Então, eu gostaria de tirar algum tempo, o que farei para me curar.”

Durante a conversa, Mullen também compartilhou que a dinâmica dentro do U2 mudou ao longo dos anos para uma “ditadura benevolente”, o que gerou algumas especulações de fãs online de que o baterista poderia estar deixando a banda.

“Você só faz isso se estiver tendo o melhor tempo, e nem todo mundo vai conseguir porque o preço é muito alto”, acrescentou Mullen. “Então, acho que o desafio é mais generosidade. Mais abertura para o processo. Sou autônomo e valorizo minha autonomia. Eu não canto da mesma folha de hinos. Não rezo para o mesmo tipo de Deus. Então todo mundo tem seus limites.”

O jornalista compartilhou partes adicionais de sua entrevista com Mullen, que não foram incluídas em sua história final publicada em um tópico do Twitter para difundir quaisquer rumores sobre o baterista deixando a banda, e acrescentou que não perguntou a ele sobre nenhuma condição física ou médica específica.

“Ele quem expôs a situação”, disse Edgers. Ele acrescentou que os dois também falaram sobre como foi triste assistir Phil Collins, em um estado frágil, se apresentando na última turnê do Genesis.

“Ele disse que havia sido instruído, no passado, a descansar ou fazer o trabalho e tirar uma folga”, acrescentou Edgers. “Em vez disso, ele se esforçou para se apresentar. Ele quer resolver seus problemas porque quer tocar bateria novamente. Ele nunca disse que estava deixando o U2 ou se aposentando.”

O U2 está terminando seu 16º álbum, Songs of Ascent, sucessor de Songs of Experience, lançado em 2017. A banda também está trabalhando em outra coleção de músicas, Songs of Surrender, batizada em homenagem ao livro de memórias de Bono - que incluirá 40 versões reinterpretadas de canções clássicas do U2.

No último domingo (5), a banda, junto com o ator George Clooney, Gladys Knight, Amy Grant e a compositora e maestrina cubana Tania León, foram homenageados no 45º Kennedy Center Honors no National Arts Center em Washington.

Fonte: American Songwriter

Notícias relacionadas
SIGA O U2BR NAS REDES SOCIAIS


SIGA O U2BR NAS REDES SOCIAIS
parceiros
one.png anistia.png red.png nacione.png midiorama.png
apoio
universal.png
ouça a rádio oficial
radio.png
CONTRIBUA COM O NOSSO PROJETO. CLIQUE AQUI PARA SABER COMO.
© 2006-2023 U2 Brasil PROJETO GRÁFICO: NACIONE™ BRANDING Special thanks to Kurt Iswarienko and iinchicore (Photography)